"Cidade Alerta" rompe limites com anúncio "dramático" de assassinato a uma mãe desesperada

Cena é comentada com repúdio nas redes sociais
Cena é comentada com repúdio nas redes sociais

Não é novidade que programas nos moldes do Cidade Alerta, apresentado por Luiz Bacci na TV Record, tenham estratégias diferenciadas e polêmicas para garantir audiência, garantindo ao público-alvo situações de violência, a qualquer custo, e criando a atmosfera sensacionalista que, querendo ou não, muitos gostam de acompanhar na televisão. Na última segunda-feira (17), entretanto, Bacci incomodou profundamente o público ao tomar a decisão de anunciar para uma mãe, ao vivo, que sua filha desaparecida havia sido assassinada pelo parceiro amoroso. 

Marcela Aranda, de 21 anos, estava grávida antes de ser morta, e para a mãe, Andreia, ainda havia uma esperança de encontra-la viva, completamente destruída pelo programa de ontem, para todo o país, e o mundo, ver. "Eu já chorei muito, não tenho dormido. Estou na fé que minha filha esteja viva", disse Vivian pouco antes de ouvir do jornalista que havia novas informações sobre o caso e de ser questionada se queria ouvir ao vivo. Ela concordou, afinal estava desesperada por alguma informação, e acabou ficando em choque absoluto quando foi informada, em off, que o genro confessou o assassinato após ter ido, por vontade própria, até a delegacia. Desnorteada, ela não acreditava na notícia e, de repente, desmaiou, enquanto o apresentador observava tudo. Logo depois, ele até chegou a dizer que não sabia sobre a confissão do crime.  

Não demorou muito para o episódio virar assunto entre internautas e espectadores do programa, com milhares de críticas ao apresentador e ao programa da Record. "A Rede Record é uma concessão pública de televisão. Ter alinhamento político, religioso e financeiro com o governo não exime a emissora de seguir regras em relação ao seu conteúdo. Indignante a exibição de uma mãe desmaiando ao vivo pela morte da filha", disse a deputada federal pelo PSOL São Paulo, Sâmia Bomfim, em sua conta no Twitter. O jornalista William De Lucca também manifestou sua opinião sobre o caso e considerou degradante a escolha do jornalista. "É, de longe, uma das cenas mais degradantes que a televisão proporcionou nos últimos tempos. Não é jornalismo, é terror. Até quando isso será permitido?", questionou. 

Leia também