Lázaro foi encontrado? Busca pelo serial killer continua com drones, cães e 300 agentes

Os agentes da polícia continuam reduzindo a área de buscas e espera encontrar o assassino em breve
Os agentes da polícia continuam reduzindo a área de buscas e espera encontrar o assassino em breve
PorMarcos Henderson

A caçada ao serial killer Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, continua com força total na divisa entre o Distrito Federal e Cocalzinho de Goiás, com cerca de 300 agentes da polícia militar, civil e federal de Goiás e o DF, auxiliados por equipamentos táticos que incluem helicópteros, drones, câmeras de visão noturna e térmica, cães farejadores e profissionais de inteligência. 

Nesta quinta-feira (17), as buscas por Lázaro chegam ao nono dia, sem que ele tenha sido encontrado. De acordo com a polícia, um dos principais objetivos da caçada é impedir que ele cometa novos crimes. "Vamos contê-lo em um perímetro determinado, apertar o cerco e proteger os policiais", afirmou o secretário de segurança de Goiás, Rodney Miranda, na última quarta-feira (16).

Informações recentes da polícia indicam que alguns moradores teriam feito contato visual com o serial killer na quarta-feira, o que pode indicar a proximidade nas buscas, sobretudo porque o perímetro está cada vez mais fechado, configurando atualmente uma área de 10 a 15 quilômetros quadrados. O grande problema gira em torno das dificuldades da região de mata e com relevo acidentado. 

As rodovias de acesso foram fechadas, e mais policiais estão sendo adicionados ao time de buscas para cercar a região. Nesta manhã, a equipe adentrou novamente na mata na esperança de encontrar o assassino, mas até o fechamento desta matéria, nenhum contato foi feito. 

Ainda de acordo com Rodney Miranda, Lázaro costuma buscar abrigo e comida em chácaras da região, durante a noite, após passar o dia fugindo pela mata. Essas ocasiões são mais propícias a novos ataques, o que continua preocupando os agentes durante a caçada. 

Lázaro é suspeito de matar uma família inteira em Ceilândia, no Distrito Federal, no dia 9 de junho, e desde então emplaca uma fuga, fazendo novos reféns e novas vítimas fatais. 

Comentários

O que você achou?
1GosteiGostei
0HahaHaha
0TristeTriste
0DetesteiDetestei
0AmeiAmei
0AffAff