Dia de fechamento: 4 empresas encerram atividades no Brasil

Dia de fechamento: 4 empresas encerram atividades no Brasil
Por Bruna Pinheiro

Quatro grandes empresas que atuavam no Brasil anunciaram que fecharão as portas neste início de ano, são elas: a francesa Kiabi e as americanas Lime, Wendy’s e Flaming’s. Com serviços variados, as empresas entraram no Brasil em meio a crise econômica que o país desenvolveu, não alcançando o sucesso almejado. 

A primeira a encerrar as atividades foi a franquia de restaurantes Flaming’s, pertencente ao mesmo grupo que a rede Outback, a Bloomin’ Brands. O restaurante americano de carnes  iniciou atividades no Brasil em 2016, e finalizou o atendimento no final de dezembro. A casa de grelhados Fleming’s, ocupava um espaçoso salão no térreo do Edifício Dacon, no Jardim Paulistano, São Paulo. Diferentemente de seus parceiros de cadeia, como o Outback e a Abbraccio, o restaurante pegou o gosto do paulistano e seus turistas. De acordo com a nota divulgada pelo grupo: “O Fleming’s Prime Steakhouse & Wine Bar informa que a unidade da cidade de São Paulo, inaugurada em 2016, é fruto de uma parceria com investidores locais. A marca informa que essa é uma decisão dos franqueados da marca no Brasil e esclarece que segue em operação nos Estados Unidos”.

Já a loja de roupas Kiabi se estabeleceu no Brasil em 2018, com duas lojas na cidade de São Paulo, nos shoppings Ibirapuera e West Plaza. A empresa também detinha um e-commerce para as vendas online, que desde o dia 2 de janeiro foi desativado. As lojas físicas ficarão abertas até o final do mês. Os empresários acusam um “momento internacional difícil” e aproveitam os últimos dias abertos para uma liquidação de estoque de 50% de desconto. Com mais de 500 lojas na Europa, a Kiabi faz parte do grupo Mullierz (os mesmos donos da Leroy Merlin e Decathlon), mas o mundo da moda não fez tanto sucesso assim em meio a crise como os outros investimentos do grupo. Em seu plano inicial, a rede planejava abrir mais de 40 lojas em 5 anos, para competir com as concorrentes C&A, Renner, entre outros.

Em seguida, tivemos hoje (9) mais duas empresas americanas que não estarão mais em solo brasileiro pelos próximos dias. Conhecida por seus hambúrgueres quadrados, a rede de fast-food Wendy’s é uma das mais consolidadas nos EUA, com alta lucratividade, mas parece que o mesmo não se aplicou aqui no Brasil. As atividades da Wendy’s foram iniciadas em 2016, mas, atualmente, todas as lojas já estão fechadas, inclusive a icônica da Avenida Juscelino Kubitschek, no Itaim Bibi. Quando a lanchonete desembarcou no Brasil, quatro sócios faziam parte do seu quadro de investidores, incluindo o cantor sertanejo Sorocaba. A empresa responsável pela rede aqui no Brasil, a Infinity Services, não fez declaração sobre o encerramento até o momento, mas todos os seus meios de venda e perfis em redes sociais já estão fora do ar.

Por fim, a empresa de aluguel de patinetes Lime iniciou atividades em julho de 2019, e sofreu maus bocados com a legislação brasileira, apesar de ter tido bons resultados no Brasil no ano passado. Para a tristeza dos Faria Limers, além do Brasil, a Lime também encerrará suas atividades em outras 12 cidades em todo o mundo, e São Paulo deve ser a primeira cidade a deixar de ter o serviço. Atualmente a Lime busca “sustentabilidade financeira”, mesmo tendo investimento de empresas como Uber e a Alphabet. Segundo um dos fundadores da empresa, "Independência financeira é o nosso objetivo para 2020, e estamos confiantes de que a Lime será a primeira companhia da nova geração de mobilidade a atingir lucratividade".

Participe
0
0
2