Congelamento do Bolsa Família prejudica 1 milhão de lares e Bolsonaro evita imprensa

Programa atinge níveis históricos de travamento
Programa atinge níveis históricos de travamento
PorMarcos Henderson10/02/2020 14h36

O presidente Jair Bolsonaro sempre fez questão de manifestar seu desinteresse em manter em pleno funcionamento o Bolsa Família, e exatamente por isso, os 200 municípios de menor renda per capita do Brasil ficaram sem recursos do programa, segundo dados divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (10). A publicação informa que um em cada três municípios ficou sem o auxílio nos últimos cinco meses, e isso fez com que a fila de espera para conseguir o benefício atingisse o valor histórico de 1 milhão de famílias. 

Para piorar a situação, o próprio presidente se recusou a falar sobre o assunto pela manhã, quando deixou o Palácio da Alvorada. “Tem uma série de problemas no Brasil, gostaria de compartilhar com vocês, mas como será deturpado, isso acabará dificultando a solução. Então, lamento. Mas não vou conversar nada com vocês, tá ok?", disparou Bolsonaro, negando-se a conceder uma entrevista coletiva, como costuma fazer. Os jornalistas também perguntavam sobre a morte do miliciano Adriano da Nóbrega, que possuía ligações com Flávio Bolsonaro. 

Bolsonaro se negou a dar entrevista nesta segunda, 10
Bolsonaro se negou a dar entrevista nesta segunda, 10
Bolsonaro se negou a dar entrevista nesta segunda, 10

Em meio à atual situação do Bolsa Família, diversas figuras públicas se manifestam nas redes sociais, declarando repulsa aos congelamentos. "No momento em que o povo mais precisa, que tem desemprego de 12 milhões de pessoas e a renda dos trabalhadores cai, o governo Bolsonaro segura o Bolsa Família, dificultando o cadastro. Pobre não tem vez nesse governo", disse a deputada federal Gleisi Hoffmann, no Twitter.

"Enquanto a pobreza e a extrema pobreza crescem no país, Bolsonaro trava a fila do Bolsa Família, que agora chega a 1 milhão de famílias. Seu Ministro Osmar Terra está devendo resposta a dois Requerimentos de Informação do PSOL sobre o tema. Governo da fome", disse Talíria Petrone, também deputada federal. O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues, foi enfático ao taxar o governo Bolsonaro de cruel: "Crueldade! Mais um capítulo do estelionato eleitoral de Bolsonaro. Ele disse que não ia acabar c/ o programa, mas o desmonta, o sabota! O Bolsa Família está tendo o período mais longo de baixo índice de entrada de novos beneficiários da história". 

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson