Esculachado pela crítica, filme "Missy Errada" lidera Top 10 da Netflix

O filme é uma produção da Happy Madison, de Adam Sandler, e divide opiniões entre os internautas.
O filme é uma produção da Happy Madison, de Adam Sandler, e divide opiniões entre os internautas.

Com apenas 33% de aprovação entre a crítica especializada no Rotten Tomatoes, e 55% de aprovação do público geral, Missy Errada passa por cima dos problemas de narrativa e garante o primeiro lugar do Top 10 geral da Netflix, superando títulos de grande potência, como a sexta temporada de "The 100" e a estreante White Lines, além do filme nacional "O Vendedor de Sonhos" e o hilário "Despedida em Grande Estilo", que entrou na grade da plataforma no último domingo (17) e já garantiu o quinto lugar na lista das produções mais assistidas do momento. 

Entre os críticos especializados em cinema, Missy Errada é um verdadeiro vexame. Para o "Cinema Com Rapadura", o filme é uma "vergonha alheia": "Essa é uma daquelas comédias que, se você não achar graça nos primeiros cinco minutos, está condenado a ver o filme inteiro revirando os olhos com as piadas."

Para o "Hollywood Reporter", o filme não soma em nada na plataforma. Já para o "Globe and Mail", as piadas são lentas, nocivas e não caem bem à narrativa. O "indieWire" foi além: "A obsessão do filme em escolher regularmente a opção mais idiota e mais cruel garante que até seus pontos fortes sejam enterrados sob uma pilha de porcaria". 

"Missy Errada" é mais uma obra da Happy Madison, produtora de Adam Sandler já conhecida pela categoria "pastelão", mas até mesmo para quem já esperava uma bomba, parece que o novo título extrapolou as expectativas. O lado positivo é que o público está assistindo, e entre comentários positivos e negativos, há quem já adicionou o longa na lista de passatempo na quarentena, afinal, comédia é um dos pontos mais subjetivos existentes no cinema, com um mesmo título gerando reações completamente diferentes em cada indivíduo.

Confira, a seguir, o trailer de "Missy Errada", estrelado por David Spade e Lauren Lapkus:

Comentários

Netflix

Mais Cinema