Em ato inesperado, sequestrador exige divulgação de documentário narrado por Joaquin Phoenix

Vegano e ativista, ator narrou produção que mostra a dependência da humanidade de produtos de origem animal.
Vegano e ativista, ator narrou produção que mostra a dependência da humanidade de produtos de origem animal.
PorKelly Lima22/07/2020 20h33

É comum em atos de sequestros, o criminoso exigir a presença da mídia ou da família, assim como coletes aprova de balas ou qualquer outra medida que mantenha sua segurança quando o mesmo é cercado pela polícia. Porém, existem casos em que os pedidos são no mínimo surpreendentes, causando grande consternação, como ocorrido na terça-feira, 21, na Ucrânia, onde após fazer 13 reféns em um ônibus, o criminoso exigiu que o presidente do país divulgasse um documentário narrado por Joaquin Phoenix.

O sequestro ocorreu na cidade de Lutsk, no Oeste do país. Um homem fortemente armado invadiu um ônibus rendendo passageiros e motorista. Não demorou para que o veículo fosse pelas autoridades, que trataram de iniciar as as negociações para e liberdade dos reféns. Arisco, o sequestrador frequentemente ameaçava explodir o ônibus e até chegou a lançar uma granada, assustando quem presenciava a cena. Ele também não hesitou em atirar contra um drone da polícia, que rondava o local.

Reféns sendo libertados após cumprida a exigência do sequestrador.
Reféns sendo libertados após cumprida a exigência do sequestrador.
Reféns sendo libertados após cumprida a exigência do sequestrador.

Entre suas exigências, Maksim Krivosh, o criminoso, solicitava falar com Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia. Ele queria que o chefe do país divulgasse o documentário Earthlings (Terráqueos, em português), de Shaun Monson, e narrado por Joaquin Phoenix, vencedor do Oscar de Melhor Ator pelo filme Coringa. Em troca, ele libertaria as vítimas, começando por três e após a confirmação do trato outras dez.

O pedido do sequestrador foi aceito e o presidente tratou de fazer uma postagem em suas redes sociais divulgando a produção, que trata sobre abusos contra animais e foi lançado em 2005. Após confirmada a publicação do líder ucraniano, Krivosh libertou os reféns, não sem antes fazê-los assistir a obra durante o cativeiro. O criminoso preso e o presidente apagou a publicação pouco depois. Maksim Krivosh é ativista pelos direitos dos animais e já cumpriu pena anteriormente por fraudes e porte de arma.

+Internacional

Sobre o autorKelly Lima
Web designer por curiosidade, Desenhista por amor, Gestora de RH por teimosia, acadêmica de Geografia por sorte e redatora nas horas vagas. Twiiter: Kelly Nivelly (@KNivelly)