Diário 24 Horas

Ford encerra produção de veículos no Brasil após mais de 100 anos

O encerramento da produção afetará as fábricas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE)
O encerramento da produção afetará as fábricas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE)
PorMarcos Henderson

A Ford anunciou na última segunda-feira (11) que encerraria a produção de veículos no Brasil, depois de mais de 100 anos de funcionamento no país. A empresa ainda seguirá com a operação de vendas e assistência técnica no país, mas focará em produtos importados, afetando 6.171 funcionários espalhados pelas fábricas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE). 

O anúncio deixou claro que as três montadoras encerrariam a produção de veículos imediatamente, mas ainda manteriam um efetivo para a fabricação de peças. A fábrica de Horizonte, responsável pela montagem da Troller, está programada para fechar no último trimestre do ano. 

A rede de concessionárias da Ford no Brasil continuará funcionando, mas os carros passarão a ser importados, destacando-se a prioridade para os carros montados na Argentina e no Uruguai. 

O que muda para o consumidor

A Ford garante que pouca coisa mudará para os compradores, que ainda contarão com os mesmos serviços e garantia para os veículos comprados nas concessionárias. Por enquanto, não haverá nenhuma mudança na rede de lojas, mas a montadora enviou uma carta aos revendedores com orientações para conceder cancelamento de compra nos casos em que o cliente sinalizou o interesse e desistiu por conta do fechamento das fábricas. 

No entanto, o futuro da Ford no Brasil deverá girar em torno da corrida pela reestruturação global da montadora, que planeja focar suas vendas em veículos como Transit, Ranger, Bronco e Mustang Mach1, enquanto os populares EcoSport e Ka sairão de linha junto com o Troller T4. 

Mudança faz parte do processo de reestruturação global da marca
Mudança faz parte do processo de reestruturação global da marca
Mudança faz parte do processo de reestruturação global da marca

Segundo o comunicado emitido pela Ford, a mudança ocorre "à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas". 

+Brasil

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson