Daniel Alves não joga mais no São Paulo, comunica o clube

O diretor do São Paulo, Carlos Belmonte, confirmou a saída de Alves nesta sexta-feira (10)
O diretor do São Paulo, Carlos Belmonte, confirmou a saída de Alves nesta sexta-feira (10)
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

O São Paulo Futebol Clube comunicou nesta sexta-feira (10) que Daniel Alves não irá mais jogar pelo time. Através das redes sociais, o diretor Carlos Belmonte afirmou que o atleta se recusou a se reapresentar após atuar pela seleção brasileira. O motivo seria a dívida de R$ 11 milhões do clube com o jogador, que só retornaria para os treinamentos se a quantia fosse paga. 

Sem condições de efetuar o pagamento na íntegra, o São Paulo teria buscado outras soluções para a negociação da dívida, sobretudo por causa da ausência de público nos estádios durante a pandemia de Covid-19, mas os representantes de Daniel não pareciam dispostos a aceitar as opções. 

"Daniel Alves e Miranda estavam servindo a seleção brasileira e deveriam se apresentar hoje para começarem os treinamentos normais visando os próximos jogos. Miranda compareceu, treinou normalmente. Daniel Alves não compareceu. Fomos comunicados pelos representares que o Daniel Alves não retornará ao São Paulo até o ajuste da dívida financeira que o São Paulo tem com o atleta. Dívida essa que o São Paulo reconhece e na última semana fez uma proposta buscando o acerto, que não foi aceita pelos representantes. A negociação seguirá com o departamento jurídico e financeiro", disse Belmonte no vídeo publicado na web. 

Com a recusa de Daniel em se reapresentar, os dirigentes do São Paulo não tiveram dificuldades para reincidir o contrato, analisando o fato de que já estão endividados com o atleta e, ainda por cima, perderiam tempo com soluções para a negociação da dívida enquanto o jogador aguarda sem treinar. 

"Do ponto de vista do departamento de futebol, nós comunicamos, tomamos a decisão e comunicamos ao Hernán Crespo que Daniel Alves não estará mais a disposição para atuar no time do São Paulo. O São Paulo é mais importante do que todos nós", concluiu o diretor do clube.