Funarte sofre pressão popular após vetar novamente bandas de rock em edital

Presidente da fundação se defendeu no Twitter e emitiu nota de esclarecimento
Presidente da fundação se defendeu no Twitter e emitiu nota de esclarecimento
PorMarcos Henderson24/01/2020 14h42

O Prêmio de Apoio a Bandas de Música teve mais um edital divulgado pela Fundação Nacional de Artes na última quarta-feira (22), e chamou atenção por algumas restrições aos gêneros das bandas, incluindo o Rock, alvo de duras críticas do presidente da entidade, Dante Mantovani, que no ano passado chegou a dizer que o estilo musical leva as pessoas ao caminho do satanismo e do aborto, e relacionou os Beatles a um plano da União Soviética para dominação global. Em redes sociais como Twitter, Facebook, Instagram e até em grupos de WhatsApp, os comentários sobre o assunto giram em torno, principalmente, do retrocesso cultural no Brasil, impulsionado pelos maiores líderes políticos do ramo artístico, que parecem valorizar ao máximo a cultura erudita, sem dar espaço para o que não seja estritamente ligado a uma formação profissional conservadora. 

A Funarte tentou se explicar, dizendo que o veto não é novidade, pois já faz parte dos editais há algum tempo, além de afirmar que a premiação é dedicada a grupos "tradicionais", de músicos que tenham passado "por um trabalho de formação musical, que qualifica artistas para as orquestras", como diz a nota de esclarecimento publicada no site oficial da fundação.

O edital prevê recursos de R$ 5,47 milhões e deve contemplar 158 projetos, com intenção de "premiar conjuntos musicais denominados ‘Banda de Música’, ‘Banda Municipal’, ‘Banda Sinfônica’, ‘Banda de Concerto’, ‘Banda Filarmônica’, ‘Sociedade Musical’ e ‘Orquestra de Sopro’”, diz o texto da entidade, que além das bandas de rock, também proibiu grupos de pífanos, "big-bands", fanfarras, bandas marciais, bandas religiosas, bandas militares e bandas de instituições de segurança pública. 

No Twitter, ao pesquisar por "Funarte", não é difícil encontrar diversas críticas à fundação governamental. "O ridículo do edital da Funarte é que não está elencado banda de rock por se tratar de bandas 'tradicionais', mas a guerra cultural gosta de frisar que bandas de rock estão 'proibidas' para concorrer. A ênfase em algo que não estaria já tacitamente vira de novo a cisma cultural", disse um internauta. "Damares: Sugere implementar o plano de abstinência sexual. Dante: Edital da Funarte, restringindo a inscrição de banda de rock. Guedes: 'imposto do pecado'. Sendo assim, ninguém poderá transar, ouvir rock, beber e comer doces. Início do fim? Vamos rir para não chorar... mais", disse outro usuário da plataforma, indignado. 

Confira o vídeo em que Dante Mantovani fala sobre o Rock, após responder a pergunta sobre uma suposta ligação dos Beatles com Theodor W. Adorno:

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson