"Parasita" teve orçamento 10 vezes menor que os "rivais" favoritos no Oscar

Equipe não conteve a emoção após ganhar a estatueta principal. Foto: Mario Anzuoni/Reuters
Equipe não conteve a emoção após ganhar a estatueta principal. Foto: Mario Anzuoni/Reuters
PorMarcos Henderson10/02/2020 12h00

Aconteceu no último domingo (9) a 92ª edição do Oscar, a maior premiação cinematográfica do mundo, e pela primeira vez na história um filme não falado em língua inglesa ganhou a estatueta principal da noite, desbancando oito concorrentes de peso que, por sinal, foram todos mais caros que "Parasita", o filme dirigido por Bong Joon Ho, também ganhador do prêmio de melhor diretor, melhor roteiro original e melhor filme internacional. 

Com um orçamento original de 13,5 bilhões de wons sul-coreanos, equivalentes a 11 milhões de dólares, aproximadamente, o longa sobre diferença de classes é 10 vezes menor que seus "rivais" favoritos, a exemplo da obra de Sam Mendes, "1917", considerada por diversos especialistas o principal concorrente de "Parasita" na disputa pela estatueta de melhor filme, e que desembolsou 100 milhões de dólares para produzir um longa-metragem com pouquíssimos cortes, em um verdadeiro show de atuação e sincronia de equipe, que ensaiou por 3 meses antes das filmagens. 

Outro exemplo notável e também favorito foi "Era Uma Vez em... Hollywood", com orçamento de 90 milhões de dólares, direção de Quentin Tarantino e atuação de Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Margot Robbie e Al Pacino. "Ford vs. Ferrari" e "O Irlandês" completam a lista dos mais caros, com orçamentos de 97 milhões e 159 milhões de dólares, respectivamente, e também com artistas já consagrados. Ainda na categoria de Melhor Filme, também estavam indicados "Coringa" (55 milhões), "Adoráveis Mulheres" (40 milhões), "História de um Casamento" (18 milhões) e "Jojo Rabbit" (14 milhões).  

Filmes grandiosos concorriam à estatueta principal, e coube à academia consagrar, com razão, o filme mais original, profundo e intrigante de todos. Com uma dinâmica impecável de direção apoiado pelo carisma dos protagonistas, "Parasita" trata de uma dualidade óbvia entre riqueza e pobreza, simbolizada pela família de Ki-taek, que vive como pode em um porão minúsculo e ganha, a partir de uma oportunidade recebida por Ki-taek de ensinar inglês a uma jovem da alta sociedade, a chance de emprego na mansão onde o rapaz dá as aulas particulares. Pouco a pouco, cada membro da família garante um afazer no local, de motorista a governanta em tempo integral, mas as revelações e questionamentos posteriores do longa são o que prendem de vez o espectador e que, sem dúvida, garantiram o feito histórico no último domingo. 

Confira o momento em que "Parasita" ganhou o prêmio de Melhor Filme no Oscar 2020:

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson