Woody Allen diz que Timothée Chalamet o denunciou para aumentar suas chances ao Oscar

Chalamet disse anteriormente que se arrependia de trabalhar com o diretor do 'Dia Chuvoso em Nova York'
Chalamet disse anteriormente que se arrependia de trabalhar com o diretor do 'Dia Chuvoso em Nova York'

Apesar de ter sido descartada por sua editora original, a nova autobiografia de Woody Allen foi discretamente lançada esta semana por meio da pequena e independente Arcade Publishing. Além de sua carreira profissional, "Apropos of Nothing" analisa de perto a vida pessoal do cineasta, incluindo alegações de que ele molestou sua filha, Dylan Farrow. Acontece que o livro controverso também trás Allen acusando seu próprio ator de "Rainy Day in New York", Timothée Chalamet, de ser um "vendido" .

Em 2018, no auge do movimento #MeToo e no interesse renovado nas alegações de Dylan contra Allen, Chalamet disse publicamente que "se arrependia" de trabalhar com o diretor.

Ele também prometeu doar todo o seu salário de "Rainy Day in New York" a organizações como Time's Up, The LGBT Center em Nova York e RAINN (Rede Nacional de Estupro, Abuso e Incesto). De acordo com o livro de Allen, Chalamet só fez essas coisas para aumentar suas chances de ganhar um Oscar por "Call Me By Your Name".

"Todos os três protagonistas de 'Rainy Day' foram excelentes e um de prazer trabalhar", escreveu Allen em "Apropos". "Timothée depois declarou publicamente que se arrependia de trabalhar comigo e estava dando o dinheiro para a caridade, mas ele jurou à minha irmã que precisava fazer isso porque estava concorrendo a um Oscar por "Call Me By Your Name", e ele e seu agente sentiram que ele tinha uma chance melhor de ganhar se ele me denunciasse, então ele o fez".

O diretor de 84 anos acrescentou: "De qualquer forma, não me arrependi de trabalhar com ele e não estou devolvendo meu dinheiro".

Vale ressaltar que a indicação ao Oscar de Chalamet por "Call Me By Your Name" foi anunciada mais de uma semana depois que ele se comprometeu a fazer suas doações. Chalamet acabou perdendo o prêmio de "Melhor Ator" para Gary Oldman.

Em outros lugares de "Apropos", Allen menosprezou outros colegas que, desde então, se distanciaram dele, como Greta Gerwig, Colin Firth e Jeff Daniels. "O fato de esses atores e atrizes nunca terem examinado os detalhes do caso (eles não poderiam ter chegado à sua conclusão com tanta certeza) não os impediu de falar publicamente com convicção obstinada", escreveu o diretor.

"Alguns disseram que agora era sua política acreditar sempre na mulher. Eu espero que a maioria das pessoas que pensam, rejeite essa forma tão simples de pensar", completou.

Comentários

Cinema

Mais Cinema