Netflix investirá US$ 100 milhões em bancos que apoiam comunidades negras

Quantia representa aproximadamente 2% dos lucros atuais da empresa
Quantia representa aproximadamente 2% dos lucros atuais da empresa
PorMarcos Henderson30/06/2020 11h08

A Netflix confirmou nesta terça-feira (30) que irá doar 2% de seu lucro atual a bancos e outras instituições financeiras que apoiam diretamente as comunidades negras nos EUA. A rede de streaming fez o anúncio dizendo que os bancos liderados ou de propriedade de negros representam uma parte minúscula dos ativos bancários do país.

"Acreditamos que trazer mais capital para essas comunidades pode fazer uma diferença significativa para as pessoas e empresas nelas, ajudando mais famílias a comprar sua primeira casa ou economizar para a faculdade, e mais pequenas empresas começarem ou crescerem", afirmaram Aaron Mitchell e Shannon Alwyn, diretor de aquisição de talentos e diretor financeiro da Netflix, respectivamente.

A Netflix relatou US$ 5,15 bilhões em retorno líquido e equivalentes em 31 de março de 2020, portanto 2% desse valor é, aproximadamente, US$ 100 milhões. Para seus primeiros investimentos no novo programa, a Netflix disse que está desembolsando US$ 35 milhões para dois veículos.

O primeiro, financiado com US$ 25 milhões, é um fundo recém-criado chamado Iniciativa de Desenvolvimento Econômico Negro, gerenciado pela Local Initiatives Support Corporation (LISC), uma organização sem fins lucrativos com um histórico de desenvolvimento de comunidades com baixo investimento estatal. Eles investirão os fundos em instituições financeiras negras que atendem comunidades de baixa e moderada renda e empresas de desenvolvimento de comunidades negras nos EUA.

A empresa também desembolsa outros US$ 10 milhões para a Hope Credit Union, sediada em Jackson, Mississippi, na forma de um "Depósito Transformacional", como foi chamado no anúncio, "para alimentar oportunidades econômicas em comunidades carentes do sul do país", escreveram os executivos. Mitchell e Alwyn citaram originais da Netflix como "13º" de Ava DuVernay e "Racial Wealth Gap" de Explained, como ilustradores "do racismo sistêmico na América", que sustenta "uma lacuna financeira de séculos entre famílias negras e brancas".

Segundo o FDIC, os bancos pertencentes ou liderados por negros representam apenas 1% dos ativos bancários comerciais dos Estados Unidos. Segundo os executivos da Netflix, isso é um fator que contribui para que 19% das famílias negras tenham riqueza negativa ou nenhum ativo, o que é mais do que o dobro da taxa de famílias brancas.

A Netflix disse que Mitchell "é apaixonado por essas questões há muito tempo" e trabalhou com Alwyn para desenvolver o compromisso de 2% em investimentos de caixa em questão de semanas. Mitchell foi inspirado no livro "A cor do dinheiro: os bancos negros e a lacuna na riqueza racial", de Mehrsa Baradaran, de acordo com a Netflix.

+Doa

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson