Galã do TikTok: Emílio Surita ganha campanha após humilhar Mario Jr no Pânico

Influenciador digital encerrou a entrevista constrangido com perguntas invasivas e deboches
Influenciador digital encerrou a entrevista constrangido com perguntas invasivas e deboches
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

Após o episódio catastrófico em que Emílio Surita irritou Bianca Andrade pelas incontáveis interrupções e a série de diálogos nitidamente machistas no Pânico transmitido na última sexta-feira (17) pela Rádio Jovem Pan, o apresentador repetiu a dose cirúrgica de constrangimento no programa do último domingo (19), ao receber o Galã do TikTok, Mario Jr., para um bate-papo que só serviu para reforçar a estagnação do programa nos moldes que o popularizaram nos anos 1990. 

O influenciador digital de 20 anos se tornou uma das grandes celebridades nacionais na rede social chinesa, mas foi humilhado ao vivo durante participação no programa da Jovem Pan, com perguntas invasivas e uma insistência para que o rapaz revelasse quanto exatamente ganha com o TikTok, mesmo após ele dizer que preferia não comentar sobre o assunto. 

Elenco perdia o raciocínio o tempo inteiro com cortes e deboches ao convidado
Elenco perdia o raciocínio o tempo inteiro com cortes e deboches ao convidado
Elenco perdia o raciocínio o tempo inteiro com cortes e deboches ao convidado

O rapaz driblou, correu, pulou, mas não conseguiu fugir das brincadeiras entrelaçadas dos entrevistadores, que cortavam um ao outro, elevavam o tom de voz e transformavam o programa em uma dor de cabeça generalizada e sem propósito nenhum a não ser expor o convidado a uma situação ridícula e depreciativa, a exemplo de quando Surita, após as insistências relacionadas a ganhos líquidos, perguntou ao influencer se e ele não fazia "piciroca nenhuma da vida, só esse esqueminha aí?", ao mesmo tempo em que dava bronca nos colegas de programa pela bagunça generalizada no estúdio.

Por fim, o economista Samy Dana mandou um recado "incentivador" para coroar o show de horrores apresentado pelo Pânico: “Eu não tenho TikTok, não acho graça. Minha dica para o Mário Junior é: estude”.

Apesar de tudo que foi dito até aqui e do que foi exibido no programa de ontem, Emílio Surita ganha uma campanha nas redes sociais, com milhares de fãs demonstrando apoio absoluto à conduta do Pânico e atribuindo à revolta dos internautas com a humilhação ao vivo uma postura "politicamente correta", "geração nutella", ou até mesmo alguns termos mais agressivos, como "jovens arrombados", além dos ironicamente controversos, como "analfabetos funcionais". Uma legião de internautas concorda com Surita e seus colegas. Para isso, não há o que comentar.