Internautas reclamam de séries canceladas com a hashtag "Netflix Respect Us"

A Netflix não costuma divulgar os motivos reais para o cancelamento das séries.
A Netflix não costuma divulgar os motivos reais para o cancelamento das séries.
PorBruna Pinheiro05/09/2020 19h21

Foi-se o tempo que a Netflix era apenas um serviço de streaming que passa séries e filmes produzidos por outras emissoras e grandes companhias de Hollywood. Desde quando iniciou suas próprias produções, a indústria ganhou uma nova concorrente e de peso! Mas o lado negativo disso tudo é a falta de continuidade de algumas produções, o que vem gerando insatisfação de seus assinantes.

Nesta tarde de sábado (5), vários usuários no Twitter reclamaram das medidas (pouco divulgadas) da Netflix para continuar cancelando suas séries, que costumam ter uma média de três temporadas. Boa parte das produções canceladas são voltadas para um público jovem, entre adolescentes e jovens adultos.

Com isso, em tom de manifestação, os internautas subiram a hashtag "Netflix Respect Us" ("Netflix nos respeite", em tradução livre), relatando as boas histórias que a produtora desenvolve, mas não finaliza, não respeitando seus consumidores. Vários fandoms de séries, especialmente as mais infanto-juvenis, como "O Mundo Sombrio de Sabrina", ameaçando boicotar a empresa pelo cancelamento desnecessário de séries.

Algumas das obras canceladas reivindicadas foram: Sense 8, I'm Not Okay With This, Daybreak, The OA, Anne with an "E", entre outras. Boa parte das obras canceladas pela empresa possuem pautas importantes para a sociedade, como protagonismo feminino, sexualidade, movimento LGBTQIA+, movimento negro, entre outros. A Netflix dificilmente divulga seus dados de quantidade de views e justificativas para o cancelamento das produções, como falta de rentabilidade ou problemas na produção.

Confira alguns dos tweets:

+Netflix

Comentários

Sobre o autorBruna Pinheiro
Internacionalista. Escrevo hoje sobre política, economia, filmes e séries. Adoro viajar e comer (não necessariamente nessa ordem). Segue lá @bpinheiro1