Jeff Bezos deixa oficialmente o cargo de CEO da Amazon

O bilionário entregou o cargo para Andy Jassy mas continuará como um dos principais acionistas da Amazon
O bilionário entregou o cargo para Andy Jassy mas continuará como um dos principais acionistas da Amazon
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, entregou o cargo de CEO para Andy Jassy nesta segunda-feira (5), encerrando uma jornada de mais de duas décadas no comando da empresa, que já havia anunciado a iminente transição de Bezos para presidente executivo em fevereiro deste ano, seguindo um comentário do bilionário sobre um período em que dedicaria maior tempo a outros projetos, como a empresa espacial Blue Origin e suas ações de filantropia. 

Mesmo entregando o cargo de CEO, Bezos ainda terá uma grande influência na Amazon nos próximos anos. "Ele provavelmente continuará envolvido, embora não se concentre mais no dia-a-dia e, em vez disso, seja capaz de se concentrar em iniciativas de toda a empresa e em novos produtos e serviços", disse Daniel Elman, analista de tecnologia global da empresa de pesquisa de mercado, Nucleus Research.

A saída de Bezos como CEO ocorre em um momento crítico para a Amazon. A pandemia criou uma demanda massiva por seus serviços, levando a saltos nos lucros e nas contratações, ao mesmo tempo em que chamava atenção dos reguladores. Portanto, não ter o homem mais rico do mundo no comando da empresa poderia auxilia-la a enfrentar melhor as possíveis "represálias" fiscais, além de isolar Bezos de críticas dos legisladores. 

A transição de Bezos também segue um momento em que vários outros fundadores do Vale do Silício também abrem mão de seus títulos de CEO, o que acarreta em uma diminuição dos holofotes, apesar de não reduzir o poder desses empresários.

Os cofundadores do Google, por exemplo, perderam seus títulos executivos em 2019 em meio a um crescente escrutínio regulatório da empresa, mas eles permanecem no conselho e possuem uma classe especial de ações que lhes dá o controle de voto como acionistas.

Bezos não tem exatamente o mesmo poder de voto de acionista, mas continua sendo o maior acionista da Amazon por uma grande margem. No mês passado, Bezos possuía 51,2 milhões de ações - ou cerca de 10% - das ações ordinárias da Amazon, muito mais do que o próximo maior acionista do Vanguard Group, que detém cerca de 6,5%. Isso significa que se a iniciativa de um acionista tiver como objetivo uma grande mudança na empresa, o voto de Bezos pode ter poder decisivo no resultado final.

Comentários

O que você achou?
1GosteiGostei
0HahaHaha
0TristeTriste
0DetesteiDetestei
0AmeiAmei
0AffAff