Bolsonarista Zé Trovão se entrega à PF após quase 2 meses foragido

O caminhoneiro que incentivou atos antidemocráticos a favor de Bolsonaro se entregou à polícia federal nesta terça-feira (26)
O caminhoneiro que incentivou atos antidemocráticos a favor de Bolsonaro se entregou à polícia federal nesta terça-feira (26)
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

O caminhoneiro Marcos Antonio Pereira Gomes, mais conhecido na internet como Zé Trovão, se apresentou à Polícia Federal em Joinville, no Norte de Santa Catarina, após ficar quase dois meses foragido. De acordo com os advogados de Marcos, que foi preso preventivamente, ele se entregou voluntariamente e está à disposição da Justiça para "provar sua inocência". 

Em nota, a PF informou que Zé Trovão se entregou por volta de 14h em sua cidade natal, mas até o momento ele não passou por um interrogatório oficial, já que foi diretamente encaminhado para um presídio da cidade, conforme mandado expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em meio às investigações de incitação a atos violentos e antidemocráticos. 

Gomes, que havia sido localizado pela polícia no México, chegou ao Brasil no último domingo (24) e ficou escondido em sua casa, em Joinville, onde recebeu conselhos dos advogados para se entregar, pois esta seria a forma mais eficiente de garantir um resultado positivo na Justiça posteriormente. 

Sua prisão foi decretada devido aos incentivos favoráveis aos atos bolsonaristas que se espalharam pelo Brasil, seguindo o fluxo oposto às exigência sanitários na pandemia de Covid-19 e incentivando a população a apoiar atos contrários à prática da democracia, seja pelos ataques diretos ao Congresso e ao STF ou pelas tentativas de tornar o aglomerado de mentiras espalhadas por Bolsonaro em alguma verdade. 

A defesa de Gomes acredita em um cenário de comprovação de sua inocência com base nos princípios da liberdade de expressão, apoiando-se no fato de que Zé Trovão se entregou "voluntariamente" à polícia para esclarecer sua relação com os atos pró-Bolsonaro.