Rodrigo Santoro revela detalhes que o levaram a aceitar papel na novela Velho Chico

Rodrigo Santoro revela detalhes que o levaram a aceitar papel na novela Velho Chico
Rodrigo Santoro revela detalhes que o levaram a aceitar papel na novela Velho Chico

Com uma carreira brilhante e 13 anos de dedicação às produções internacionais, Rodrigo Santoro está de volta à televisão brasileira, com o papel de Afrânio, na novela Velho Chico, prevista para substituir A Regra do Jogo no dia 14 de março, na faixa nobre da Rede Globo. É claro que há uma pressão enorme em cima do astro, que já está hospedado em Delmiro Gouveia, no interior de Alagoas, onde está sendo tietado 24 horas por dia pelos fãs, mas sempre com uma recepção gentil e cheia de simpatia, segundo informações dos moradores locais, que não disseram o mesmo a respeito de outro integrante do elencoRodrigo Lombardi, supostamente arrogante em algumas ocasiões, possivelmente por conta do cansaço proveniente das filmagens diárias do folhetim. 

Ainda no auge da profissão, aos 40 anos de idade, o carioca teria concordado em entrar para o elenco de Velho Chico após uma oferta de R$ 300 mil por mês, mostrando claramente a vontade do diretor Luiz Fernando Carvalho em tê-lo como um dos protagonistas da primeira fase, interpretando o filho de Jacinto (Tarcísio Meira), com destaque para o triângulo amoroso envolvendo a belíssima Iolanda (Carol Castro) e a ingênua Leonor (Marina Nery).

Para quem não lembra, a última participação de Santoro em uma novela nacional foi realizada em 2003, em "Mulheres Apaixonadas", com 203 episódios e diversas indicações a prêmios importantes, chegando a faturar algumas estatuetas, entre elas a de melhor novela, melhor ator para Dan Stulbach e ator favorito para o ator que viria a se tornar destaque em Hollywood, além da premiação de melhor atriz mirim para Bruna Marquezine, que desde então conseguiu alavancar sua carreira de forma arrasadora. 

Entrevistado recentemente para falar a respeito de Velho Chico, o ator revelou alguns detalhes dos bastidores, além, é claro, de demonstrar os sentimentos por trás do retorno à Rede Globo. "Outro dia, acordei no meio da noite e pensei: estou fazendo novela! Estou trabalhando na minha língua, no meu país, no sertão!", revela com entusiasmo, dando ênfase à região nordestina, onde o elenco trabalha arduamente para gravar as cenas da produção que promete afastar de uma vez por todas a fase amarga da faixa nobre global. 

Perguntado sobre o personagem ao qual foi convidado a encarnar, um estudante de direito no final dos anos 60, em Salvador, mas que muda totalmente de vida quando acaba indo à fazenda após convocação da própria mãe, mudando os seus parâmetros de vida e estabelecendo novos valores ideológicos para se firmar em uma nova fase pessoal. Sobre o perfil e o caráter de Afrânio, Santoro revela que se trata de um rapaz romântico e responsável. "Velho Chico vai fundo num drama com ares de tragédia shakespeariana", descreve o ator, que também falou um pouco mais sobre as possibilidades antigas de estrelar algumas outras produções do gênero, também no Brasil. "Meus amigos me diziam que eu deveria fazer uma dessas ótimas séries que a nossa TV está produzindo. Mas eu queria algo mais sólido, uma novela. Quando veio esse convite, pensei: 'Chegou!'", dispara com certa empolgação. 

Apesar da dedicação e da alegria em estar de volta em terras brasileiras, Rodrigo já tem diversas outras tarefas programadas na agenda, e assim que concluir as filmagens dos 24 episódios em que estará presente na primeira fase da trama, já embarca para Los Angeles, nos Estados Unidos, para finalizar a série "Westworld", de J.J. Abrams e Jonathan Nolan, com um elenco de peso, composto por Anthony Hopkins, Evan Rachel Wood e Ed Harris. 

Uma outra informação relevante divulgada pelo astro durante a entrevista tem um princípio mais íntimo, que contraria a ideia de muitos fãs, que o imaginam como alguém que deixou de morar no Brasil para se estabelecer oficialmente em outra localidade. Pois bem, ele nega: "Tenho um apartamento no Leblon, e alugo outro, em Los Angeles, para deixar as roupas", afirma, deixando bem claro que sua moradia ainda é no Rio de Janeiro. 

Afrânio terá seu amor disputado por duas pessoas na novela, mas seu amor verdadeiro sempre será bem claro e direto aos telespectadores. Iolanda estará na pele da experiente e bela Carol Castro, que promete brilhar em cenas românticas, cheias de paixão, além das intrigas com Leonor, interpretada pela modelo internacional Marina Nery, uma das grandes apostas de Luiz Fernando Carvalho, que acredita fielmente nas caras novas que costuma indicar às produções televisivas da qual faz parte. Para Velho Chico, o cineasta também chamou Pablo Morais e o filho do humorista Shaolin, Bruno Veloso. 

Jacinto será responsável por gerar uma situação desconfortável ao filho, que será obrigado pelo pai a se casar com Leonor, mesmo gostando de Iolanda. Apesar da reluta inicial, o rapaz acaba seduzindo a jovem, se aproximando dela e chegando a se relacionar de forma íntima, gerando uma filha. O problema é que ele vai desistir do romance e vai se unir oficialmente com Iolanda, que trabalhará como dançarina até o momento em que precisa cuidar da filha do amado, Maria Tereza (Júlia Dalavia), largando o emprego e dedicando-se exclusivamente às obrigações familiares. 

Tudo isso acontece na primeira fase, com ambientação no sertão nordestino, em locações espalhadas por Alagoas, Rio Grande do Norte, entre outras, em 1974, no contexto histórica de luta pelo renascimento do rio São Francisco. Santoro será substituído, ao fim dos 24 episódios iniciais, pelo mestre Antônio Fagundes, que dará prosseguimento ao personagem na segunda fase, onde as intrigas se elevarão por conta de disputas familiares e brigas por posse de terra, em uma trama recheada de fatos históricos de grande relevância ao desenvolvimento do país, maquiados com romances e histórias de amor.

Comentários

Globo

Mais Notícias