Avião que caiu no Irã pode ter sido alvo de míssil

Avião que caiu no Irã pode ter sido alvo de míssil
Por Bruna Pinheiro

A queda do avião ucraniano no Irã ainda está em fase de investigações, todavia, nesta quinta-feira (9), as autoridades dos Estados Unidos e do Canadá levantaram a suspeita sobre o desastre envolvendo o Boing. De acordo com as investigações destes dois países, o avião pode ter sido atingido por um míssil do Irã. 

O jornal norte-americano “The New York Times” divulgou um vídeo mostrando o suposto momento em que o avião é atingido pelo míssil disparado pelo Irã. Após dez segundos do impacto, é possível ouvir um estrondo de explosão. O jornal comunicou que comprovou a autenticidade do vídeo, e que ele mostra a região em que o Boing 737-800 parou de se comunicar com a torre de comando. De acordo com o vídeo, mesmo atingida, a aeronave continuou no ar por alguns minutos voando em direção ao aeroporto.

O vídeo e o posicionamento das autoridades americanas foi desmentida categoricamente pelo governo iraniano, que ainda investiga o caso e apura os fatos. As suspeitas já haviam sido levantadas devido a coincidência entre o horário dos disparos dos mísseis contra as bases que abrigavam norte-americanos no Iraque e a queda do avião.

O premiê do Canadá, Justin Trudeau, falou publicamente sobre o caso "Temos informação de várias fontes [indicando que] o avião foi derrubado por um míssil terra-ar iraniano. Não foi intencional". Outras autoridades internacionais como o primeiro-ministro Boris Johnson e o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, corroboraram com a mesma opinião.

Intencional ou não, a fatalidade ceifou a vida de 176 pessoas, a maioria de nacionalidades canadense e iraniana. As autoridades persas dizem que o Boing 737-800 da UIA deu meia-volta minutos após a decolagem, devido um “problema” e um incêndio a bordo. Em seguida, a aeronave desapareceu dos radares. Hoje (10), o Irã iniciou a análise das caixas pretas no laboratório do aeroporto Mehrabad.

0
0
1