Roda Viva: Drauzio Varella fala sobre AIDS, debate homofobia e critica Bolsonaro

O médico entrou nos assuntos do momento no Twitter
O médico entrou nos assuntos do momento no Twitter
Por Marcos Henderson

O programa Roda Viva, da TV Cultura, recebeu Drauzio Varella na última segunda-feira (10) e gerou uma forte onda de comentários positivos ao médico nas redes sociais, sobretudo por causa da sensatez em suas falas sobre AIDS, preconceito contra os portadores do vírus HIV, quase sempre com teor homofóbicos e com total desconhecimento sobre a doença, suas causas e, às vezes, até sua gravidade, de acordo com o convidado, que também aproveitou para fazer duras críticas ao atual presidente da república Jair Bolsonaro, sobretudo no que diz respeito às recentes falas do político, quando revelou considerar os portadores de AIDS uma despesa pública desnecessária, revoltando milhões de pessoas, não apenas no Brasil. 

Segundo Varella, afirmações semelhantes a de Bolsonaro, apesar de absurdas, são comuns, e contribuem na exclusão absoluta dos portadores da doença. “Preconceito e desumanidade. Atirar no doente a culpa da doença que ele tem.. A sociedade sempre fez isso. Na Idade Média se fazia isso com a hanseníase. Tuberculose era coisa dos devassos. E na AIDS, é coisa de promíscuos. Cansei de ver senhoras que casaram uma vez na vida e pegaram Aids do marido”, disse o médico, repudiando firmemente comentários maldosos sobre quem vive com a doença e indo além, quando diz que as pessoas que falam esse tipo de coisa não gostariam que falassem isso de alguém da família deles. "Ele não iria gostar que uma pessoa de sua família fosse tratada dessa forma”, disse, chamando de "grosseria que não merece nem ser comentada" a fala do presidente. 

Perguntado sobre qual é sua consideração sobre o projeto do governo de incentivo à abstinência sexual na adolescência, já vigente através de propaganda massiva, Varella fez questão de fazer relação com ideais religiosos, amplamente propagados na campanha do presidente, lembrando, inclusive, de quando o Papa Bento XVI criticou declarou-se contrário ao uso de preservativos, no passado, gerando confusão mundial. “Nós aprendemos a lidar de outra forma com as doenças sexualmente transmissíveis de formas mais eficazes. Você pode aconselhar vida sexual tardia, mas isso não acontece na prática. Nós temos, no Brasil, mania de repetir os mesmos erros do passado”, completou o médico, que nesta terça-feira (11) aparece entre os assuntos do momento no Twitter. Confira:

Assista à entrevista completa de Drauzio Varella no Roda Viva:

0
0
0