Bolsonaristas apostam na cloroquina e lançam a hashtag "JairNobeldaPaz"

Presidente confirmou nesta quinta (9) que receberá insumos da Índia para produção de hidroxicloroquina.
Presidente confirmou nesta quinta (9) que receberá insumos da Índia para produção de hidroxicloroquina.
PorMarcos Henderson09/04/2020 10h08

O presidente Jair Bolsonaro demonstrou que está disposto a enfrentar o Congresso, o Supremo Tribunal Federal (STF), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e até a Organização Mundial da Saúde (OMS) para seguir com suas convicções, que apesar de contrariadas por especialistas do mundo inteiro, são símbolo de honestidade e esperança para os bolsonaristas. Nesta quinta-feira (9), a hashtag "JairNobeldaPaz" aparece entre os destaques do Twitter e reúne milhares de publicações em defesa do presidente, além dos já conhecidos ataques à esquerda, ao Lula, à imprensa e a quaisquer outros agentes que "se atrevam" a discordar do presidente.

As manifestações giram em torno das investidas de Bolsonaro em relação ao uso de cloroquina ou hidroxicloroquina, claramente sua "arma" principal contra as medidas que prezam pelo isolamento social diante dos avanços da pandemia do coronavírus. Em suas declarações, o presidente dá como garantida a recuperação nos casos em que o medicamento é utilizado, representando, segundo médicos e infectologistas, um perigo à população, já que as pesquisas com cloroquina ainda estão em andamento. 

Problema? Para Bolsonaro e seus apoiadores, nenhum, a não ser ficar sem trabalhar durante a crise. Carreatas foram feitas, demissões em massa continuam acontecendo para, quem sabe, chamar atenção para a suposta necessidade crucial de suspensão do isolamento, a exemplo das declarações recentes de empresários como o dono do Madero, Junior Durski, que minimizou as mortes por coronavírus ao comparar com os danos "irreversíveis" que serão gerados à economia e ao bolso do trabalhador brasileiro, segundo ele, ou do dono da Havan, Luciano Hang, que ameaçou demitir 22 mil funcionários caso as medidas que vetam o pleno funcionamento do comércio permanecessem ativas. 

Nesta quinta, Bolsonaro agradeceu ao primeiro-ministro da Índia pela liberação do envio de insumos ao Brasil, para produção de hidroxicloroquina, e rapidamente atraiu atenção positiva dos seguidores. Complementando o post, o presidente afirmou que o envio de insumos é "um gesto honroso que poderá ajudar a salvar a vida de muitos brasileiros, e do qual jamais esqueceremos". 

+JairNobeldaPaz

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson