Raimundos: Após comentários políticos de Digão na web, Canisso diz que "ele não representa nossa opinião"

'Pensei que o isolamento lhe faria bem, mas o maluco tá surtando', disse o baixista ao responder os fãs em rede social.
'Pensei que o isolamento lhe faria bem, mas o maluco tá surtando', disse o baixista ao responder os fãs em rede social.

A semana iniciou agitada no mundo do rock. Com tragédias como a morte de Paddy Bowden,ex-esposa de Bruce Dickinson, do Iron Maiden, e a polêmica nos bastidores do Pink Floyd, com Roger Waters e David Gilmour mais uma vez "se estranhando", a cena brasileira claramente não ficaria de fora da "maré" das confusões. E quem protagoniza o estranhamento em terras tupiniquins é o Raimundos, mais precisamente os integrantes Digão e Canisso.

Na última semana o vocalista e guitarrista Digão, que com frequência emite opiniões políticas polêmicas, divulgou alguns posicionamentos em seus Stories, no Instagram, onde criticou pensamentos de esquerda. E em meio a uma pandemia mundial, afirmou que o isolamento social, que vem sendo defendido pela OMS, é "uma amostra grátis do Comunismo".

O comentário caiu como uma bomba em meio aos fãs da banda e do gênero, e o músico foi alvo de uma enxurrada de críticas. Entretanto, nenhuma delas pareceu abalar as convicções de Digão, que tendo seu posicionamento relacionado à Bolsonaro, chegou a prometer uma guitarra a quem provasse que ele já fez campanha para o atual presidente - o que já chegou bem perto de acontecer.

E a polêmica foi tanta, que chegou a respingar em Rodolfo, ex-vocalista que há muitos anos deixou a banda para se dedicar à igreja e sua carreira como pastor evangélico, que inclusive, já se mostrou favorável e já elogiou Bolsonaro publicamente.

Entretanto, a exemplo de Rodolfo, não somente ele teve seu nome relacionado às ideias de Digão, como também a banda, algo que fez o baixista Canisso se manifestar em rede social afirmando que cada integrante tem suas próprias opiniões, e que elas não refletem nos posicionamentos da banda.

Em sua conta no Twitter, Canisso foi claro e direto: "Nenhuma opinião política, religiosa , esportiva, ou sobre QUALQUER assunto de qualquer integrante da banda Nunca vai representar a opinião da BANDA, fique tranquilo, Ele não representa nossa opinião, PONTO". E apesar de não citar Digão diretamente, ao interagir com os fãs após sua declaração, o baixista dá a entender que fala sobre ele. 

"Imagina tu ter mais de 30 anos de história com uma banda e ter que ficar explicando q as merdas q o teu colega fala não tem nada a ver contigo/ela", disse o fã, ao que Canisso respondeu: "Exato. Pensei que o isolamento lhe faria bem, mas o maluco tá surtando".

Ainda interagindo com os fãs, Canisso afirmou que apesar das divergências "não irá deixar a banda da qual tem tanto orgulho". Recentemente Digão confirmou em um vídeo na web que a banda segue com o planejamento de uma "live", que segue ainda sem data definida.

No comunicado, o vocalista disse que a "geografia" dos integrantes do Raimundos seria o fator que mais estaria dificultando a live acontecer, visto que ele e Caio Cunha residem em Brasília, Fred no Rio de Janeiro, Canisso em São Paulo e Marquim em Bragança Paulista, também em São Paulo, mas que mesmo com as dificuldades, a apresentação, que segundo ele "serão só pedradas e muitas coisas que os Raimundos não tocam ao vivo há muito tempo", vai acontecer.

Comentários

Rock

Mais Música