Foi como estar "no ringue com Lula", diz Sérgio Moro sobre audiências com ex-presidente

Ex-Ministro da Justiça de Bolsonaro revelou que tratou ex-presidente Lula como 'adversário' durante a tomada de seu depoimento na Operação Lava Jato.
Ex-Ministro da Justiça de Bolsonaro revelou que tratou ex-presidente Lula como 'adversário' durante a tomada de seu depoimento na Operação Lava Jato.
PorCarol Souza06/07/2020 20h34

Neste último domingo (5) o ex-juiz e ex-Ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Sérgio Moro, admitiu em uma entrevista ao canal Globonews, canal por assinatura da TV Globo, que na época em que tomou depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o tratou como "adversário", chegando a se referir a audiência como um "ringue".

"Como a gente fez lá no… brincando, no ringue com Lula, na audiência", disse ele. Desde sua condenação ainda em 2017, os advogados do ex-presidente Lula vêm argumentando que, em sua atuação frente à Lava Jato, o ex-magistrado desrespeitou o princípio de imparcialidade e impessoalidade, fixadas pela Constituição Federal de 1988, pelo Código de Processo Penal e pelo Código de Ética da Magistratura, e aparentemente, após esta entrevista, Moro teria confessado esta conduta.

Ressalta-se também que a defesa de Lula pleiteia a anulação das condenações do ex-presidente proferidas pelo ex-juiz federal de primeira instância em Curitiba, por falta de imparcialidade.

Lula foi condenado por Moro a nove anos e seis meses de prisão em 12 de julho de 2017, depois de passados dez meses de processo, tendo sido preso 7 de abril do ano seguinte, após condenação em segunda instância. 

Lula, cuja prisão teve ampla cobertura da imprensa mundial e foi documentada em "Democracia em Vertigem", documentário de Petra Costa, passou 580 dias preso na sede da Polícia Federal em Curitiba e foi posto em liberdade em 8 de novembro de 2019.

No mesmo ano, durante entrevista à BBC News Brasil, o ministro Gilmar Mendes, Presidente da Segunda Turma, disse que "se Moro for considerado suspeito, os processos de Lula voltam à fase de denúncia", afirmando ainda que assim que o colegiado consiga se reunir presencialmente devido à pandemia, deve pautar o julgamento do processo de Lula.

Diante das declarações de Moro neste domingo (5) a a deputada e presidenta do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse em rede social que "Cada vez mais aparece o que falávamos sobre a Lava Jato e Sérgio Moro: o uso do processo judicial para perseguir adversários e o conluio da operação com os americanos. Agora estamos chegando às confissões".

+Sérgio Moro

Sobre o autorCarol Souza
Amante do cinema, dos livros e apaixonadíssima pelo bom e velho rock n'roll. Amo escrever e escrevo sobre o que amo. Ativista da causa feminista e bebedora de café profissional. Instagram: @barbooosa.carol