"Cidade Alerta": Após apontado pelo jornal como suspeito de um crime, homem é assassinado por vizinhos

Informação foi divulgada pelo filho, que disse à polícia que vizinhos e desconhecidos 'estiveram em sua casa e chamaram seu pai para conversar' e em seguida, o levaram.
Informação foi divulgada pelo filho, que disse à polícia que vizinhos e desconhecidos 'estiveram em sua casa e chamaram seu pai para conversar' e em seguida, o levaram.
PorCarol Souza15/07/2020 12h42

Esta não é a primeira vez que o jornal "Cidade Alerta", da TV Record, se torna alvo de polêmicas porém desta vez, as consequências foram um pouco mais graves. Conhecido por seu tom sensacionalista, nesta última segunda-feira (13) o âncora Luiz Bacci noticiou um crime, apontou um suspeito - mesmo que com o rosto encoberto -, e o homem foi assassinado mesmo antes de comprovada ou não sua inocência.

Em sua edição de segunda, o jornal noticiou o caso da jovem Priscila Martins, de 18 anos, que foi morta e revelou que a polícia seguia com as investigações. O crime, que ocorreu na cidade de Salto, no interior de São Paulo, teria sido cometido por várias pessoas, porém durante o desenvolvimento da matéria, Bacci afirmou que a polícia já tinha um suspeito, e que a reportagem possuía imagens desta pessoa.

A imagem foi exibida na tela, com um borrão, junto à fala do apresentador: "Ainda não temos autorização para mostrar sem esse borrão. Mas quem conhece esse homem já passa informações para a polícia. Quem é amigo desse homem sabe quem é".

Apesar do pedido de que seu paradeiro fosse informado às autoridades, e de que a população não fizesse justiça com as próprias mãos, conforme depoimento de seu filho em boletim de ocorrência, o homem apontado como suspeito foi levado e assassinado.

"Alguns moradores daquela comunidade, bem como outros desconhecidos, estiveram em sua casa e chamaram seu pai para conversar", diz o filho no boletim. Informações do colunista Maurício Stycer apontam ainda que após o assassinato, os autores teriam exibido imagens do homem já sem vida nas redes sociais e as enviado por aplicativos de mensagem.

Procurada, a Record se justificou - e tentou se isentar de responsabilidade - após a divulgação da imagem do homem em âmbito nacional dizendo que sabiam que ele poderia ser reconhecido, pois "entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era".

Leia abaixo a nota enviada pela emissora:

"O 'Cidade Alerta' tinha as informações sobre o nome e a foto do suspeito. Entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era. Inclusive a investigação aponta que a pessoa era conhecida de Priscila Martins, que foi encontrada morta depois de ser torturada e o corpo queimado. O mesmo suspeito é apontado como envolvido em outros crimes. Diante da revolta que a informação causou na região, o 'Cidade Alerta' decidiu não identificar o suspeito e fez um apelo para quem soubesse o paradeiro do investigado que informasse a polícia e que ninguém tentasse fazer justiça com as próprias mãos".

+Cidade Alerta

Sobre o autorCarol Souza
Amante do cinema, dos livros e apaixonadíssima pelo bom e velho rock n'roll. Amo escrever e escrevo sobre o que amo. Ativista da causa feminista e bebedora de café profissional. Instagram: @barbooosa.carol