Universal fecha acordo com rede de cinema e lançará filmes digitalmente poucos dias após estreias

O acordo de exibição visa beneficiar ambas as partes e revoluciona a relação entre estúdio cinematográfico e salas de exibição.
O acordo de exibição visa beneficiar ambas as partes e revoluciona a relação entre estúdio cinematográfico e salas de exibição.
PorKelly Lima29/07/2020 09h21

Há alguns meses, a Universal Pictures entrou em uma briga feia com a franquia de cinemas AMC, muito popular nos Estados Unidos. Após muito debate, as negociações finalmente chegaram ao fim e ambas as partes fecharam um acordo, que vai entrar para a história. O contrato sinaliza que o estúdio só poderá lançar seus filmes em plataformas digitais após 17 dias, no mínimo, após estreia nas salas de exibição.

Toda essa situação ocorreu após a Universal abrir mão de estrear Trolls 2, filme muito aguardado pelo público (principalmente infantil), nos cinemas e lançá-lo on demand, como solução encontrada para lidar com a crise provocada pela pandemia de coronavírus. Os dirigentes da AMC não ficaram nada satisfeitos com o ocorrido e promoveram um boicote ao estúdio afirmando que nunca mais exibiriam nenhuma obra produzida por ele em seus cinemas.

A exibição de Trolls 2 em plataforma digital foi o estopim para a briga e posteriormente o acordo entre as duas empresas.
A exibição de Trolls 2 em plataforma digital foi o estopim para a briga e posteriormente o acordo entre as duas empresas.
A exibição de Trolls 2 em plataforma digital foi o estopim para a briga e posteriormente o acordo entre as duas empresas.

A briga foi grande e se arrastou por meses, mas finalmente chegou ao fim e tudo indica que ambas as partes saíram no lucro. De acordo com o que se sabe até o momento, o contrato tem validade de anos e para que desse certo as duas empresas precisaram ceder em algum ponto. Os donos da franquia de cinema concordaram em voltar a exibir os longas sa Universal, mas em troca, a empresa precisou garantir que só irá disponibilizar suas produções em plataformas digitais depois de aproximadamente três semanas após estreia nas salas de exibição.

O estúdio concordou e desta forma ambos irão lucrar. Adam Aron, CEO da AMC confirmou que a rede de cinemas vai garantir alguma porcentagem das compras digitais. De acordo com o THR, o percentual ficou em 10%. Antes deste acordo, o que existia eram políticas que limitavam o período de tempo para lançamentos em home vídeo (DVD, Blu-Ray), que até então eram de três meses. Acredita-se, que a Universal tente esta mesma manobra de flexibilização com outros exibidores, já que não há uma previsão para o fim da pandemia e existem outras produções bem populares por lançar.

+Filmes

Sobre o autorKelly Lima
Web designer por curiosidade, Desenhista por amor, Gestora de RH por teimosia, acadêmica de Geografia por sorte e redatora nas horas vagas. Twiiter: Kelly Nivelly (@KNivelly)