Diário 24 Horas

Colégio Eleitoral se reúne nos EUA para formalizar vitória de Biden sobre Trump

A reunião protocolar não é tradicionalmente repercutida, mas os insistentes ataques de Trump tornaram a formalização mais popular este ano
A reunião protocolar não é tradicionalmente repercutida, mas os insistentes ataques de Trump tornaram a formalização mais popular este ano
PorMarcos Henderson

O Colégio Eleitoral formalizará Joe Biden como o 46º presidente dos Estados Unidos após o fim da votação protocolar entre os delegados eleitorais iniciada nesta segunda-feira (14). Apesar da vitória constatada do adversário, Donald Trump continua lutando para impedir sua saída do cargo, repetindo acusações infundadas de fraude eleitoral, se recusando a conceder a derrota ao democrata e investindo fortemente em tentativas de reverter o resultado oficial. 

Os eleitores começaram a votar em Vermont, o primeiro de 50 estados e o Distrito de Columbia que confirmarão a vitória de Biden sobre Trump. A votação do Colégio Eleitoral é normalmente uma formalidade que recebe pouca cobertura da mídia. Mas como Trump fez alegações infundadas de fraude eleitoral, mesmo depois que sua campanha e seus apoiadores foram rejeitados por dezenas de juízes e duas vezes pela Suprema Corte, a repercussão do protocolo se tornou mais oportuna este ano. 

De acordo com os resultados certificados nos estados, Biden derrotou Trump no Colégio Eleitoral por 306 a 232. O conselheiro de Trump, Stephen Miller, apareceu na Fox & Friends nesta segunda-feira e classificou a eleição de "fraudulenta", enquanto insistia que ainda havia tempo até a posse para contestar os resultados. Mas ele se resumiu a culpar a imprensa: “A pressão da mídia corporativa corrupta para fazer todos cederem é esmagadora”. Enquanto isso, Biden prometeu que irá fazer um discurso sobre a votação do Colégio Eleitoral pela noite. 

Depois que o democrata for formalizado como o novo presidente dos Estados Unidos, grande parte do foco será se os republicanos no Congresso, que se recusaram a reconhecê-lo como vencedor, começarão a se referir a ele como presidente eleito. O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, que se recusou a reconhecer Biden como presidente eleito, havia dito anteriormente que estava aguardando a votação eleitoral.

A desinformação, rumores e insinuações em torno da eleição - incluindo as repetidas alegações de que a eleição foi roubada de Trump - levantaram preocupações sobre violência. Michigan fechou o Capitólio do estado ao público nesta segunda, em meio a "ameaças críveis de violência", de acordo com o The Washington Post. Os resultados serão certificados por uma sessão conjunta do Congresso no dia 6 de janeiro.

+EUA

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson