Diário 24 Horas

2020 Nunca Mais: Documentário falso dos criadores de Black Mirror é difícil de assistir

O falso documentário de Charlie Brooke e Annabel Jones faz uma retrospectiva irônica do ano
O falso documentário de Charlie Brooke e Annabel Jones faz uma retrospectiva irônica do ano
PorMarcos Henderson

Nem mesmo o famoso "rir para não chorar" pode ser aplicado à tentativa de Charlie Brooke e Annabel Jones em fornecer ao público uma narrativa irônica para os acontecimentos de 2020. Uma retrospectiva de tudo que aconteceu até então parece uma tortura, e por mais que se tente rir da situação, tal objetivo dificilmente será alcançado em "2020 Nunca Mais", nova produção dos criadores de Black Mirror para a Netflix.

Além da pandemia, o falso documentário também trata com acidez os episódios emblemáticos de racismo que motivaram os protestos da Black Lives Matter, mas fornece pouco espaço para importantes discussões, resumindo-se a debochar de cada episódio com relatos pouco engraçados de personagens fictícios e algumas indiretas ineficientes a líderes políticos como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Fora isso, o filme pouco falou sobre realidades fora destes dois países, mas fez sua singela "homenagem" ao presidente Jair Bolsonaro quando inseriu sua imagem durante uma fala sobre ignorar os riscos da Covid-19. 

No Metacritic, não é surpresa que o falso documentário apareça com uma péssima avaliação. São 39 pontos da crítica especializada (de um total de 100), e 3,8 (de um total de 10) dos usuários em geral. Para o "The Hollywood Reporter", "2020 Nunca Mais" recicla as sátiras políticas e paródias documentais ultrapassadas refletindo sobre o ano que a maioria das pessoa prefere acabar da memória. 

"A parte mais decepcionante de 2020 Nunca Mais é que antes de se tornar o cronista ganhador do Emmy da alienação tecnológica em nossa era moderna, a sátira política de cortar as manchetes era o ofício de Brooker em uma variedade de mídias", diz a crítica de Daniel Fienberg no THR. Para Ed Cumming, do The Independent, "2020 Nunca Mais é uma bagunça e você ficará feliz quando isso acabar."

+Netflix

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson