Diário 24 Horas

DJ palestina Sama’ Abdulhadi é solta sob fiança após oito dias de prisão

Apesar da liberdade, Abdulhadi está impedida de viajar para fora da Palestina e ainda pode ser condenada a dois anos de prisão
Apesar da liberdade, Abdulhadi está impedida de viajar para fora da Palestina e ainda pode ser condenada a dois anos de prisão
PorMarcos Henderson

A DJ palestina Sama’ Abdulhadi foi solta sob fiança pelas autoridades palestinas após uma detenção de oito dias em uma prisão de Jericó. O valor da fiança foi de 500 dinares jordanianos (aproximadamente R$ 3.708,02). 

Abdulhadi está atualmente impedida de viajar para fora da Palestina e está sujeita a investigações adicionais sobre as acusações de profanar um local sagrado e símbolos religiosos e de violar as medidas de de prevenção à Covid-19.

Embora não tenha sido indiciada, Abdulhadi pode ser condenada a até dois anos de prisão e aguarda a decisão do Procurador-Geral sobre o desfecho do processo de apuração do caso.

A DJ foi detida em 27 de dezembro após um evento privado criado para a série de performances pré-gravadas do Beatport, The Residency. O local do evento, Nabi Musa, na Cisjordânia, em parte ainda é usado como um local de culto, mas também foi declarado uma atração turística pelo Ministério do Turismo da Palestina em 2019 e está regularmente disponível para aluguel. A artista foi acusada de ofender a religião por tocar Techno no local

Abdulhadi foi contratada pelo Beatport para filmar uma residência de quatro partes no final de 2020, com o objetivo de mostrar a cena musical no Oriente Médio e na Palestina. O terceiro local da residência aconteceu no pátio de um hostel da propriedade do centro histórico, turístico e cultural de Nabi Musa, e foi aprovado por escrito pelo Diretor Geral do Ministério do Turismo Palestino.

A apresentação foi privada, com a presença de 30 amigos e equipe de trabalho, segundo declaração do Beatport. A gravação do evento terminou quando um grupo entrou no local e disse aos convidados para saírem, reivindicando proteções religiosas para o local. A prisão de Abdulhadi resultou em uma onda de apoio internacional, com artistas obteve mais de 100.000 assinaturas. 

“Estou bem e segura e gostaria de agradecer a todos que apoiaram minha situação e pediram minha libertação imediata”, disse Abdulhadi em um comunicado. “Estou impressionada com o apoio de meus colegas músicos, artistas, ativistas e de toda a comunidade musical. Quero agradecer a todos e a todos que me fizeram sentir tão apoiada. Neste momento, só quero passar um tempo com minha família", declarou a artista. 

+Música

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson