Diário 24 Horas

Onde está o fundador do Alibaba? Sumiço do bilionário chinês Jack Ma gera teorias da conspiração

Especialistas acreditam que o empresário esteja se escondendo em meio aos intensos conflitos com o governo chinês, mas algumas teorias de internautas sugerem ações mais severas do presidente Xi Jinping
Especialistas acreditam que o empresário esteja se escondendo em meio aos intensos conflitos com o governo chinês, mas algumas teorias de internautas sugerem ações mais severas do presidente Xi Jinping
PorMarcos Henderson

No início desta semana, relatos sobre o desaparecimento do bilionário chinês Jack Ma geraram múltiplas reações online, incluindo reações de especialistas financeiros, internautas comuns e jornalistas questionando sobre o paradeiro do fundador do Alibaba. Ma, de 56 anos, teve suas empresas submetidas a uma repressão dos reguladores chineses e, desde o dia 10 de outubro, dia em que fez sua última publicação nas redes sociais, o empresário não é mais visto.

Além das perguntas sobre o paradeiro, também é possível encontrar teorias da conspiração conectadas a diversos assuntos políticos internacionais, sobretudo em meio aos conflitos entre Ma e o governo do presidente chinês, Xi Jinping. Ele também deveria ter aparecido como juiz no episódio final de seu próprio show de talentos, "Africa's Business Heroes", mas não apareceu, o que resultou na remoção de todas as suas fotos do site do programa. 

Nas três décadas desde que fundou o gigante do comércio eletrônico Alibaba Group, Jack Ma revelou sua identidade como o bilionário mais extravagante da China. Ele tem sido regular no Fórum Econômico Mundial em Davos e no Fórum Global Fortune, e apareceu em eventos do Alibaba vestido como um punk rocker e Michael Jackson, e até atuou em um filme de artes marciais.

O Financial Times foi um dos primeiros a notar que os produtores do programa de TV, um concurso de talentos para empresários, substituíram Ma como jurado do programa em novembro, pouco antes de suas filmagens. O programa ainda não foi ao ar, mas os produtores retiraram a fotografia de Ma de seu site, e o material promocional do programa evita qualquer menção a ele.

O abrupto desaparecimento de Ma do programa de TV atraiu o escrutínio porque aconteceu dias depois de ele ter feito um discurso polêmico no Bund de Shangai . Em seus comentários na reunião, que incluiu os reguladores financeiros mais poderosos da China, uma série de banqueiros centrais seniores e executivos de alguns dos maiores bancos estatais do país, Ma ridicularizou os reguladores chineses por serem muito avessos ao risco, sufocando a inovação e apegando-se a uma mentalidade de "casa de penhores" na supervisão do sistema financeiro da China.

A retribuição foi rápida. Funcionários convocaram Ma e executivos seniores do Ant Group, a principal plataforma de pagamentos móveis da China e uma subsidiária do Alibaba, para interrogatório em Pequim. Dias depois, Pequim vetou a oferta pública inicial da Ant nas bolsas de Hong Kong e Xangai. O Wall Street Journal informou que as ordens para cancelar a listagem do Ant vieram diretamente do presidente chinês Xi Jinping.

O pesquisador do Instituto Peterson de Economia Mundial, Martin Chorzempa, informou à Vice que acredita que Ma esteja se escondendo. “Você não quer estar à vista do público quando sua empresa está em uma situação política muito complicada". Duncan Clark, presidente da consultoria de tecnologia BDA China, com sede em Pequim, concorda que Ma provavelmente está evitando a atenção do público. “Esta é uma situação bastante singular, mais ligada à escala do Ant e às sensibilidades sobre a regulamentação financeira”, disse ele.

No entanto, as várias repressões ao império de Ma foram interpretadas como uma tentativa do governo da China em controlar um empresário que estava "passando dos limites", tendo se tornado conhecido internacionalmente pela falta de medo em criticar publicamente o governo do Partido Comunista Chinês (PCC). 

+Empresa

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson