Diário 24 Horas

Oscar 2021: Os esnobados e as surpresas das indicações

Esnobados desta edição incluem Jodie Foster, Delroy Lindo, a sequência de 'Borat' e mais
Esnobados desta edição incluem Jodie Foster, Delroy Lindo, a sequência de 'Borat' e mais
PorMarcos Henderson

O Oscar 2021 anunciou sua lista oficial de indicados nesta segunda-feira (15), mas como já é de costume, vamos separar alguns nomes que estão gerando polêmica por terem sido "esnobados" pela Academia. 

“Mank”, um drama em preto e branco da Netflix sobre a produção de “Cidadão Kane”, liderou o grupo com 10 indicações. Depois disso, seis filmes receberam seis indicações: “The Father”, “Judas e o Messias Negro”, “Minari”, “Nomadland”, “Sound of Metal” e “Os 7 de Chicago”. 

Por décadas, o Oscar não conseguiu nomear diretoras mulheres na categoria de melhor diretor. Mas na manhã desta segunda-feira, a história foi feita: duas diretoras - Chloe Zhao (“Nomadland”) e Emerald Fennell (“Jovem Promissora”) - foram indicadas juntas na categoria pela primeira vez. Ambos os filmes receberam acenos de melhor filme, a segunda vez que dois títulos de direção feminina foram reconhecidos na categoria principal.

Mas como nem tudo é como o povo espera, confira abaixo os esnobados do Oscar 2021: 

Regina King pela direção de “One Night in Miami”

King teria sido a primeira mulher negra indicada para melhor diretor por fazer “Uma Noite em Miami”, um drama aclamado pela crítica que gira em torno de uma conversa fictícia em 1964 entre Malcolm X, Cassius Clay, Jim Brown e Sam Cooke. O lançamento da Amazon Studios, que recebeu críticas positivas no Festival de Cinema de Veneza, também não recebeu uma indicação de melhor filme.

Aaron Sorkin pela direção de “Os 7 de Chicago”

O drama de Aaron Sorkin sobre os ativistas que foram presos por protestar na Convenção Nacional Democrata de 1968 provou ser um grande candidato ao Oscar para a Netflix, obtendo seis indicações. Mas, embora Sorkin tenha recebido um aceno de roteiro (o quarto de sua carreira na categoria), ele não recebeu sua primeira indicação ao Oscar por direção.

Delroy Lindo, “Destacamento Blood”

Lindo não conseguiu uma indicação das organizações mais visíveis (Globes, SAG e Spirit Awards), mas ele tinha muito apoio da crítica - e havia uma esperança de que um grande movimento levasse ao ator sua primeira indicação ao Oscar. No final, a categoria era muito competitiva.

Jodie Foster, “The Mauritanian”

Embora ela tenha ganhado o Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante por interpretar a advogada de defesa Nancy Hollander no drama independente, o Oscar não demonstrou amor por Foster. Sua última indicação ao Oscar (das quatro que recebeu por atuação) foi em 1995 por "Nell". E “The Mauritanian”, que foi lançado no final do ano de votação estendido, foi completamente desprezado pela Academia.

Dominique Fishback, “Judas e o Messias Negro”

Em muitos aspectos, o poderoso filme de Shaka King superou as expectativas, caindo em grandes categorias como melhor filme e roteiro original, e a indicação surpresa para LaKeith Stanfield como coadjuvante (ao lado de seu co-estrela, Daniel Kaluuya) deu esperança de que Fishback pudesse ser reconhecida pela interpretação de Deborah Johnson (agora Akua Njeri). Ganhar uma indicação ao BAFTA na semana passada levou alguns a especularem que uma indicação ao Oscar viria a seguir, mas não foi o que aconteceu. 

“Borat Subsequent Moviefilm” na categoria Melhor Filme

Fazer a Academia reconhecer um filme de comédia será sempre difícil, especialmente um título tão convencional como a sequência de “Borat”. Mesmo assim, depois de ganhar o Globo de Ouro de melhor filme, musical ou comédia e obter uma indicação ao PGA, havia esperança de que o longa vencesse as adversidades. No final das contas, não era para ser, mas "Borat" ainda saiu por cima, com indicações para a atriz coadjuvante Maria Bakalova e roteiro adaptado.

Surpresas na lista de indicados ao Oscar 2021:

Thomas Vinterberg, “Another Round”

Muitos pensaram que os indicados ao Oscar de melhor diretor se igualariam aos indicados ao Prêmio DGA anunciados na semana passada. Mas o ramo de direção muitas vezes segue seu próprio caminho no Oscar. Enquanto muitos sabiam que Vinterberg estava no limite graças à sua mão delicada com a aclamada comédia-drama, ainda foi uma surpresa ver seu nome ser chamado, batendo nomes como Aaron Sorkin, Regina King e Shaka King.

Paul Raci, “Sound of Metal”

Embora fosse um líder na premiação da crítica, Raci lutou para encontrar o equilíbrio com as principais premiações - tanto o SAG Awards quanto o Globo de Ouro não o indicaram por sua atuação sutil e tocante como Joe, um surdo veterano do Vietnã que leva em Ruben de Riz Ahmed para sua comuna. Mas no final, o ator de 72 anos conseguiu sua primeira indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante.

Comentários

O que você achou?
1GosteiGostei
0HahaHaha
0TristeTriste
0DetesteiDetestei
0AmeiAmei
0AffAff
Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson