Demi Lovato revela que foi estuprada aos 15 anos e abusada por traficante

A cantora abriu o jogo sobre diversos acontecimentos pessoais em um documentário transparente sobre sua trajetória de vida
A cantora abriu o jogo sobre diversos acontecimentos pessoais em um documentário transparente sobre sua trajetória de vida
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

Em seu novo documentário, "Demi Lovato: Dancing with the Devil", lançado na última terça-feira (16) no Festival de Cinema SXSW, a cantora revelou que foi estuprada durante a adolescência e, mais tarde, por seu traficante na noite em que sofreu uma overdose. "Não foi apenas uma overdose. Se aproveitaram de mim", diz a atriz de 28 anos sobre a noite de julho de 2018, quando ela quase morreu. 

Uma amiga de Lovato, Sirah Mitchell, explicou que a cantora havia recebido heroína "misturada com fentanil" naquela noite. “Ele [traficante] também acabou deixando-a muito chapada e deixando-a para morrer”, diz Mitchell no documentário. 

“Quando eles me encontraram, eu estava nua, azul. Fui literalmente deixada para morrer depois que ele se aproveitou de mim”, diz Lovato. "Quando acordei no hospital, eles perguntaram se tínhamos feito sexo consensual. Tive um flash dele em cima de mim. Eu vi aquele flash e disse que sim. Só um mês depois da overdose que eu percebi 'Você não estava em nenhum estado de espírito para tomar uma decisão consensual.'"

Na série, Lovato se emociona ao relatar o trauma que enfrentou não apenas na noite da overdose, mas também durante a adolescência. “Quando eu era adolescente, estava em uma situação muito semelhante. Perdi minha virgindade em um estupro”, diz ela no filme. Embora reconheça que ela e seu suposto agressor estavam "namorando" na época, Lovato diz que deixou claro que não estava "pronta" para perder a virgindade.

“Eu fazia parte da turma da Disney que disse publicamente que estava esperando o casamento. Não tive uma primeira vez romântica”, diz Lovato. "Não foi isso para mim - isso foi uma merda. Então, eu tinha que ver essa pessoa o tempo todo, então parei de comer e enfrentei de outras maneiras."

A cantora ainda revela que seu agressor sexual "nunca teve problemas por isso". “Eles nunca saíram do filme em que estavam. Eu sempre mantive isso quieto porque sempre tive algo a dizer. Não sei, estou cansada de abrir a boca", disse Lovato, sem revelar quando ou onde o ataque aconteceu. 

No entanto, ela mencionou os chamados "anéis de pureza" - joias que simbolizam o compromisso de esperar pelo sexo até o casamento - usado temporariamente no final dos anos 2000 por jovens estrelas da Disney, incluindo Nick e Joe Jonas, Miley Cyrus e Selena Gomez.

Lovato disse que usou um anel de pureza em 2008, quando alcançou a fama com o filme do Disney Channel, "Camp Rock", filmado quando ela tinha 15 anos. O filme e sua sequência de 2010 contavam com os Jonas Brothers, Meaghan Martin e Alyson Stoner no elenco.

Sua descrição da experiência foi combinada com duas entrevistas da época: uma no tapete vermelho do American Music Awards em 2008, e outra aparentemente do set de "Camp Rock 2", na qual ela disse que tinha se tornado “mais consciente sobre a vida, as pessoas e a forma como o negócio funciona” desde as filmagens do primeiro filme.