Taesa demite funcionária que tentou humilhar fiscal da vigilância sanitária

Empresa reafirmou compromisso com as normas de segurança e anunciou o desligamento da funcionária
Empresa reafirmou compromisso com as normas de segurança e anunciou o desligamento da funcionária
PorMarcos Henderson06/07/2020 14h17

A Taesa, empresa brasileira de transmissão de energia elétrica, publicou uma nota de esclarecimento sobre a reportagem do Fantástico exibida no último domingo (5) em que uma funcionária da empresa aparece agredindo verbalmente um fiscal da vigilância sanitária em frente a um bar lotado na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

O funcionário da prefeitura, Flávio Graça, superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação em Vigilância Sanitária, Fiscalização e Controle de Zoonoses da Prefeitura, fazia a inspeção na região e destacou o desobedecimento das normas de segurança e higiene para prevenção da Covid-19 em vários estabelecimentos.

Em meio à operação, ele foi surpreendido com a abordagem de um casal, e em determinado momento a mulher tentou humilhar o fiscal por causa de sua profissão. "Cidadão não, engenheiro civil, formado, melhor do que você", disse a frequentadora do restaurante. Veja:

Ao tomar conhecimento da situação, a Taesa optou pelo desligamento automático da funcionária e destacou o posicionamento da empresa diante da pandemia, reafirmando o compromisso com as normas de segurança, incluindo a atitude de manter o home-office para 100% do quadro administrativo, além da adoção de outras medidas de proteção para as equipes que precisam trabalhar em campo.

"A companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia", diz o comunicado. "A TAESA ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a TAESA decidiu por sua imediata demissão", garante o comunicado da companhia. 

A reportagem do Fantástico exibiu uma situação isolada do Rio de Janeiro, que na verdade é repetida em diversas outras regiões brasileiras, sobretudo com a entrada do mês de julho. Milhões de pessoas continuam se arriscando diariamente, frequentando diversos locais públicos em prol do entretenimento, sem dar a devida atenção para os cuidados necessários. O número de casos segue aumentando, e o Brasil ainda é segundo colocado no ranking de casos confirmados de coronavírus, mas para boa parte da população, já está tudo resolvido. 

+Coronavírus

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson