Votação do relatório final da CPI da Covid acontece nesta terça-feira (26)

O relatório final da CPI da Covid responsabiliza o presidente Jair Bolsonaro por uma série de crimes cometidos durante a pandemia de Covid-19
O relatório final da CPI da Covid responsabiliza o presidente Jair Bolsonaro por uma série de crimes cometidos durante a pandemia de Covid-19
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

Começou na tarde desta terça-feira (26) a sessão que reúne os membros da CPI da Covid para a votação do relatório final elaborado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), com mais de 1,1 mil páginas que incluem o pedido de indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por pelo menos nove crimes. 

Entre os argumentos a favor do indiciamento múltiplo de Bolsonaro, estão citações de várias das declarações absurdas do presidente sobre a pandemia de Covid-19, imagens do presidente provocando aglomerações, além da descrição do esforço pessoal de Bolsonaro para articular a compra de matéria-prima para produção de cloroquina - medicamento comprovadamente ineficaz para o tratamento do coronavírus - em larga escala. 

O documento também detalha o atraso descomunal no processo de compra de vacinas e a ausência de respostas rápidas aos fabricantes, a exemplo da Pfizer e o Instituto Butantan, que tentavam vender seus imunizantes através de negociações dificultadas pelo governo Bolsonaro. 

Calheiros afirma que a CPI pôde comprovar, após seis meses de duração, que o governo promoveu um absoluto descaso com a vida das pessoas, comprovado por inúmeros fatores, como o atraso na aquisição de vacinas, a intenção de imunizar a população através da chamada "imunidade de rebanho", a priorização do tratamento precoce ineficaz contra a Covid-19, entre vários outros fatores descritos ao longo das páginas do documento. 

Confira quais são os crimes atribuídos a Bolsonaro no relatório final da CPI da Covid:

  • Epidemia com resultado morte;
  • Infração de medida sanitária preventiva;
  • Charlatanismo;
  • Incitação ao crime;
  • Falsificação de documento particular;
  • Emprego irregular de verbas públicas;
  • Prevaricação;
  • Crimes contra a humanidade;
  • Crimes de responsabilidade (violação de direito social e incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo).