Neil Young ameaça Donald Trump com processo após uso não autorizado de música

Young diz que a decisão de Trump de ordenar 'bandidos de uniforme' nas ruas americanas foi a gota d'água.
Young diz que a decisão de Trump de ordenar 'bandidos de uniforme' nas ruas americanas foi a gota d'água.
PorCarol Souza27/07/2020 15h15

O Presidente dos EUA, Donald Trump, já deixou claro que pensa não necessitar de autorização dos artistas para usar sua música em seus comícios durante a campanha presidencial. Já tendo sido repreendido por bandas como Linkin Park e The Rolling Stones, o atual presidente dos EUA segue repetidamente utilizando canções de outro ícone da música, Neil Young, tendo desconsiderado deliberadamente os pedidos do músico para parar de tocar sua música em comícios de campanha e outros eventos.

E frente ao não atendimento de seus pedidos, Young agora diz estar considerando uma ação legal contra Trump.

Vale lembrar que anteriormente o artista havia declarado que não processaria Trump por se preocupar com o fato de que um processo poderia "potencialmente distrair jovens de importantes trabalhos que protegem e salvam vidas americanas" em meio à pandemia do COVID-19.

No entanto, depois de ver Trump pedir para os "bandidos de uniforme" irem as ruas americanas, Young aparentemente mudou de ideia. "Ele mesmo encomendou isso. Isso é tudo DJT. Ele disse a eles para usarem camuflagem, usarem veículos não marcados para levar pessoas, pessoas inocentes protestando pacificamente - seus direitos constitucionais como cidadãos dos EUA", escreveu Young em um comunicado publicado em seu portal Neil Young Archives.

"Trump não respeita as nossas forças armadas", continuou Young. "Eles não devem ser usados ​​nas ruas da América contra cidadãos cumpridores da lei para uma charada política orquestrada por um presidente contestado. É uma desgraça total, a maneira como ele coloca cidadãos uns contra os outros para seu próprio ganho político, dizendo que apenas as cidades dirigidas por democratas estão com problemas e precisam de ajuda. Os líderes eleitos pediram para ele não intervir. Os representantes eleitos em todas essas cidades e estados são contra os bandidos militares de Trump atirando nas pessoas nas ruas. Nossas forças armadas são contra. Essa não é a missão sagrada deles".

Young então observou ainda, a ironia da resposta do governo federal ao COVID-19. "Quando os estados pediram ajuda com o COVID-19, o presidente não deu. Ele disse que não é responsável. Quando eles disseram para não trazerem militares para nossas ruas - não precisamos disso, ele o fez de qualquer maneira por suas próprias razões políticas - não pela América. Esse presidente desonesto está criando um problema muito pior com seu exército de bandidos uniformizados e cheios de ódio".

Finalizando, Young concluiu: "Estou reconsiderando" legalmente contra Trump. "Imagine como é ouvir 'Rockin' in The Free World' depois que este presidente fala, como se fosse sua música tema. Eu não a escrevi para isso".

Talvez Young possa unir forças com as lendas do rock The Rolling Stones, que também estão ameaçando Trump com uma ação judicial pelo uso não autorizado contínuo de músicas da banda, como citado acima.

Até agora, Trump conseguiu evitar conseqüências legais, escondendo-se atrás de uma licença de entidades políticas que fornece à sua campanha acesso a mais de 15 milhões de obras musicais no repertório do IMC. No entanto, recentemente os The Stones encontraram uma brecha que lhes permite excluir suas músicas da licença e está usando essa disposição como base para o processo.

+Neil Young

Sobre o autorCarol Souza
Amante do cinema, dos livros e apaixonadíssima pelo bom e velho rock n'roll. Amo escrever e escrevo sobre o que amo. Ativista da causa feminista e bebedora de café profissional. Instagram: @barbooosa.carol