Nova nota de R$ 200 preocupa especialistas financeiros: 'facilita a corrupção'

Pesquisa de Harvard mostra que notas de alto valor facilitam a vida de quem pratica crime financeiro
Pesquisa de Harvard mostra que notas de alto valor facilitam a vida de quem pratica crime financeiro
PorMarcos Henderson30/07/2020 12h04

Desde 2002 não víamos um novo valor entre as cédulas de real, mas agora, com a criação da nota de R$ 200 pelo Banco Central, surgem incontáveis dúvidas em relação ao real propósito da decisão, anunciada oficialmente na última quarta-feira (29). Para alguns especialistas financeiros, há uma forte preocupação relacionada à facilidade de corrupção e lavagem de dinheiro que poderia ser aberta com o alto valor concentrado em uma única cédula.

Em geral, o lançamento de uma cédula está sempre atrelado à necessidade de reduzir as transações em dinheiro vivo, como aconteceu com as notas de R$ 2 e R$ 20, por exemplo. Com a nova cédula de R$ 200, não é diferente. O governo federal constatou um gasto extra de R$ 437 milhões para impressão de cédulas neste mês, com o objetivo de imprimir R$ 100 bilhões adicionais em dinheiro vivo, e a pandemia do novo coronavírus também funcionou como impulsionamento da procura pelo que é chamado entre os economistas de "entesouramento", isto é, estocar dinheiro. 

O lobo-guará foi o animal escolhido para estampar a cédula
O lobo-guará foi o animal escolhido para estampar a cédula
O lobo-guará foi o animal escolhido para estampar a cédula

O advogado e pesquisador brasileiro, Ronaldo Lemos, afirma que as "notas grandes servem para facilitar a vida de quem estoca dinheiro ilegalmente" citando o investimento da Índia para acabar com as notas de maior valor e um estudo de Harvard que conecta a eliminação de notas de alto valor à dificultação "da vida de quem pratica crime financeiro, corrupção e outros ilícitos". Na pesquisa de 2016, os autores constatam que os fluxos globais de crimes financeiros atinjam a casa dos US$ 2 trilhões por ano. A corrupção equivale a outro US$ 1 trilhão. 

O procurador do Ministério Público de Contas, Julio Oliveira, também sugeriu que as notas de R$ 200 favorecem a corrupção. "Malas e mochilas poderão ser menores, mais leves e mais discretas. No início do ano passado, cogitou-se retirar de circulação as notas de R$ 100 para dificultar transações ilícitas em espécie", destacou. 

O lobo guará foi o animal escolhido para estampar a nova cédula, que deve ser lançada oficialmente no fim de agosto. 

+Economia

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson