Asas de frango exportadas do Brasil testam positivo para Covid-19 na China

Autoridades chinesas confirmaram o teste positivo mas não revelaram a marca do produto
Autoridades chinesas confirmaram o teste positivo mas não revelaram a marca do produto
PorMarcos Henderson13/08/2020 10h04

Uma amostra de asas de frango congeladas exportadas pelo Brasil testou positivo para o Covid-19 na cidade de Shenzhen, no sul da China, disseram as autoridades locais nesta quinta-feira (13).

O novo coronavírus foi detectado na quarta-feira (12) em uma amostra de superfície retirada de um lote de asas de frango durante a triagem de alimentos congelados importados no distrito de Longgang, em Shenzhen, disse o governo municipal em um comunicado. Os funcionários não forneceram o nome da marca.

As autoridades de saúde de Shenzhen rastrearam e testaram imediatamente as pessoas que podem ter entrado em contato com o produto, e todos os resultados foram negativos. As autoridades agora estão rastreando produtos relacionados da mesma marca que já foram vendidos, e desinfetaram a área onde as asas de frango contaminadas estavam armazenadas.

O Brasil relatou até agora mais de 3,1 milhões de casos de coronavírus, o segundo maior do mundo depois dos Estados Unidos.

A área onde as asas de frango contaminadas estavam armazenadas já foi desinfectada
A área onde as asas de frango contaminadas estavam armazenadas já foi desinfectada
A área onde as asas de frango contaminadas estavam armazenadas já foi desinfectada

A notícia das asas de frango contaminadas chega um dia depois que o vírus foi encontrado na embalagem de camarões importados do Equador, em um restaurante no leste da província de Anhui durante uma inspeção de rotina, informou a emissora estatal chinesa CCTV. Desde julho, houve sete casos em que o vírus foi detectado nas embalagens de produtos do mar importados em todo o país, desde a província de Shandong, na costa leste, até o município de Chongqing, no oeste, de acordo com relatos da mídia estatal.

Contudo, as autoridades de saúde, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, disseram que a possibilidade de contrair o vírus pela comida é baixa.

A OMS afirma que é "altamente improvável que as pessoas contraiam o Covid-19 em alimentos ou embalagens de alimentos". De acordo com o CDC, o risco de infecção pelo vírus em produtos alimentícios, embalagens de alimentos ou sacolas é "considerado muito baixo".

+Coronavírus

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson