Por que 'Mulan' está sofrendo boicote na China e outros países?

O novo filme da Disney enfrenta algumas barreiras em países asiáticos
O novo filme da Disney enfrenta algumas barreiras em países asiáticos
PorMarcos Henderson04/09/2020 10h58

"Mulan" é uma das maiores produções cinematográficas lançadas durante a pandemia da Covid-19, mas apesar da grande espera em um cenário global, há grupos que não estão aceitando a chegada do novo filme da Disney, sobretudo em países asiáticos. Liu Yifei, que interpreta a protagonista, irritou ativistas pró-democracia da China ao disparar comentários que supostamente apoiavam a polícia de Hong Kong, acusada de violência contra manifestantes nos enormes protestos que acontecem na cidade na época.

Quando os protestos se ampliaram para incluir demandas por reformas democráticas e um inquérito sobre a suposta brutalidade dos agentes policiais, a atriz, que é cidadã americana, deixou sua opinião: "Eu apoio a polícia de Hong Kong. Vocês podem me atacar agora. Que vergonha para Hong Kong". A polícia de Hong Kong foi amplamente acusada de usar força excessiva contra os manifestantes e até mesmo contra jornalistas que cobriam os protestos. 

Yifei fez declarações polêmicas sobre as manifestações pró-democracia na China
Yifei fez declarações polêmicas sobre as manifestações pró-democracia na China
Yifei fez declarações polêmicas sobre as manifestações pró-democracia na China

Agora, ativistas tailandeses e taiwaneses também embarcam na briga para garantir o boicote de "Mulan" em seus países. O ativista Joshua Wong continua apelando para que "todos os que acreditam nos direitos humanos" abracem a campanha "#BoycottMulan".

Segundo Wong, a Disney "se ajoelha a Pequim", afirmando que outros estúdios de Hollywood também escolhem o mesmo caminho de reverenciamento, "censurando filmes, ajustando roteiros e nacionalidades de personagens para garantir a distribuição na China", sobretudo depois do fracasso do filme original em território chinês. 

Apesar do clima negativo e das recentes críticas que concentram elogios apenas no quesito visual, a campanha publicitária do filme certamente renderá resultados de acordo com o esperado. Os seis filmes refeitos pela Disney desde 2015 - "Cinderela", "Mogli: O Menino Lobo", "A Bela e a Fera", "O Rei Leão", "Aladdin" e "Dumbo" - arrecadaram US$ 5,8 bilhões, então o foco é manter o crescimento. 

+Mulan

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson