Amapá tem volta de energia com racionamento

O estado está com 13 cidades sem energia elétrica desde terça-feira, 3.
O estado está com 13 cidades sem energia elétrica desde terça-feira, 3.
PorBruna Pinheiro08/11/2020 14h10

O estado do Amapá ainda está sofrendo com a falta de energia elétrica para a sua população desde a terça-feira (3), mas desde sábado (7) a luz está sendo retomada na capital, Macapá, e outras cidades, de maneira racionada. O apagão chega neste domingo (8) a mais de 100 horas sem o serviço.

O rodízio de energia com turno de seis horas foi confirmada pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que informou também que 65% da carga do Estado havia sido retomada. Cabe agora a empresa privada Isolux, responsável pela administração da subestação, a retomada de 100% da energia em até três dias, contando desde ontem (7).

“Conseguimos restaurar boa parte da carga do Estado e esperamos que isso vá se restabelecendo até 100% nos próximos dias”, disse o ministro, após vistoriar a cidade de Macapá ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Em ação movida na Justiça do Amapá, caso a energia não seja retomada dentro do prazo de três dias, a multa será de R$ 15 milhões. Além disso, em até 12h, deverá ser criado um grupo de trabalho com o Ministério das Minas e Energia, Eletronorte, Isolux e CEA; a Isolux também deverá apresentar neste prazo  plano de ações para a imediata solução do problema; entre outros.

O Amapá ainda sofre com o desabastecimento de água, alimentos, combustíveis e o sistema de internet e telefone. Várias organizações iniciaram campanhas para auxiliar a população local com doações. A população está denunciando o abuso cometido por companhias de transportes e aéreas com altos valores para a compra de passagens para aqueles que desejam deixar a região.

4
Gostei
Haha
Triste
Detestei
Amei
Aff
Gostei
Comentar

+Amapá

Sobre o autorBruna Pinheiro
Internacionalista. Escrevo hoje sobre política, economia, filmes e séries. Adoro viajar e comer (não necessariamente nessa ordem). Segue lá @bpinheiro1