Diário 24 Horas

Bolsonaro e Ratinho pescam juntos e ignoram protocolos contra Covid-19

O presidente estava desde o último domingo (19) em Santa Catarina, em um período autoimposto de férias
O presidente estava desde o último domingo (19) em Santa Catarina, em um período autoimposto de férias
PorMarcos Henderson

O presidente Jair Bolsonaro tem aproveitado desde o último domingo (19) um período autoimposto de férias em Santa Catarina, onde se diverte com amigos, incluindo o apresentador do SBT, Ratinho, com quem saiu para pescar sem obedecer os protocolos recomendados contra a Covid-19, na última terça-feira (22). Ao lado deles na embarcação, também estavam o secretário da Pesca, Jorge Seif Jr., e o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

No retorno da pescaria, Bolsonaro foi recebido por uma multidão que se aglomerou na praia para ovacionar o ídolo. Ele tirou selfies com apoiadores, cumprimentou pessoas e sorriu para fotos. Segundo informações da assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, Bolsonaro está de férias no Estado, em agenda privada, sem nenhum compromisso oficial marcado até esta quarta-feira, 23 de dezembro, dia em que estava marcado para o presidente voltar a Brasília. 

Em gravação publicada nas redes sociais, o presidente elogiou o trabalho de Seif e exaltou os pescadores de Santa Catarina. "É um ano de muitas entregas, muito trabalho por parte dele [Seif], a última ação nossa foi permitir que os pescadores aqui do Rio Grande do Sul, ou melhor, Santa Catarina, Paraná, possam pescar nos mares do Rio Grande do Sul”, disse Bolsonaro, que ainda comemorou a liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Kássio Nunes Marques, liberando a pesca de rede de arrasto nas 12 milhas náuticas da faixa marítima da zona costeira do Rio Grande do Sul. 

Desde sua chegada ao Aeroporto Estadual de Ubatuba, em São Francisco do Sul, Bolsonaro causou aglomerações repetidamente e foi visto pouquíssimas vezes utilizando máscaras. Ele cumprimentou dezenas de pessoas e aproveitou o tempo de "férias" para se divertir. 

Enquanto isso, o Brasil chega a 188 mil casos de Covid-19 e chegou a 963 novas mortes, atingindo a maior média de óbitos em três meses. Despreocupado, Bolsonaro chegou a dizer que não entendia por que a pressa em agilizar a vacinação. 

+Bolsonaro

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson