Diário 24 Horas

Artistas se unem para enviar cilindros de oxigênio para Manaus

Centenas de cilindros com o insumo já foram adquiridos para serem enviados a Manaus
Centenas de cilindros com o insumo já foram adquiridos para serem enviados a Manaus
PorMarcos Henderson

Artistas e influenciadores digitais de vários estados brasileiros estão se unindo para comprar e enviar cilindros de oxigênio para Manaus, que está enfrentando sua pior fase de combate à Covid-19 desde o início da pandemia. Relatos de profissionais da Saúde, imagens de familiares que acompanham pacientes e várias outras denúncias mostram uma situação caótica devido à falta do insumo nos hospitais da capital amazonense. 

A campanha dos famosos ganhou fôlego após Whindersson Nunes avisar aos seguidores no Twitter que já havia conseguido comprar 20 cilindros. “Providenciando 20 cilindros de 50L de oxigênio pra distribuir nas unidades mais urgentes em Manaus! Alô, meus amigos artistas! Na hora de fazer show é tão bom quando o público nós recebe com carinho né, vamos retribuir????”, disse o humorista, dando início a uma repercussão estrondosa nas redes sociais. 

Assunto internacional

A falta de oxigênio nos hospitais de Manaus está sendo debatida além das fronteiras do Brasil, sobretudo por causa da ausência de ações efetivas do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que somente não última quarta-feira (14), após a grande repercussão, admitiu o colapso no sistema de Saúde de Manaus. 

O Brasil registrou mais de 205.000 mortes pelo novo coronavírus, a segunda maior contagem do mundo, atrás somente dos Estados Unidos. Uma nova variante da Covid-19 surgiu recentemente no Brasil, com vários casos em viajantes do Japão, rastreados até a região do Amazonas, que sofreu grandes perdas na primeira onda da pandemia, e sofre novamente com uma segunda fase ainda mais grave. 

Contêineres refrigerados foram trazidos aos hospitais para ajudar a armazenar os corpos na semana passada, quando as autoridades declararam estado de emergência, e na quarta-feira, o pesquisador Jessem Orellana, do instituto de investigação científica da Fiocruz-Amazônia, disse à agência de notícias AFP que a falta de oxigênio transformou os hospitais de Manaus em "uma espécie de câmaras de asfixia".

+Coronavírus

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson