Ciro Gomes suspende pré-candidatura após PDT votar a favor da PEC dos Precatórios

Principalmente nome do PDT para as eleições de 2022, Ciro afirmou que manterá sua pré-candidatura suspensa até o partido mudar sua postura
Principalmente nome do PDT para as eleições de 2022, Ciro afirmou que manterá sua pré-candidatura suspensa até o partido mudar sua postura
Marcos Henderson
PorMarcos Henderson

Ciro Gomes (PDT/CE) anunciou na manhã desta quinta-feira (4) que irá suspender sua pré-candidatura para as eleições de 2022 após a bancada assumir uma postura a favor da PEC dos Precatórios na votação que aconteceu nesta madrugada, na Câmara.

De acordo com Gomes, é impossível permanecer à frente de uma candidatura série com um partido que compactua com a "farsa e os erros bolsonaristas". O PDT foi decisivo para a vitória da PEC na votação, já que dos 24 deputados do PDT, somente seis votaram contra. 

Em publicação no Twitter, Ciro afirmou que foi duramente surpreendido com os votos a favor oriundos da bancada, e que, por isso, enfrentará graves desafios pela frente. 

"Há momentos em que a vida nos traz surpresas fortemente negativas e nos coloca graves desafios. É o que sinto, neste momento, ao deparar-me com a decisão de parte substantiva da bancada do PDT de apoiar a famigerada PEC dos Precatórios. A mim só me resta um caminho: deixar minha pré-candidatura em suspenso até que a bancada do meu partido reavalie sua posição. Temos um instrumento definitivo nas mãos, que é a votação em segundo turno, para reverter a decisão e voltarmos ao rumo certo", disse Ciro. 

Tudo indica que a mudança de posicionamento do PDT aconteceu após um acordo formalizado com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), alinhado com o governo Bolsonaro. Como já era de se esperar, os votos favoráveis do PDT geraram um tumulto generalizado após a votação oficial, reunindo gritos que incluíam lamentações profundas pelo alinhamento que permitirá um acréscimo considerável de impulsionamento na campanha eleitoral de Jair Bolsonaro. 

Principal aposta do governo para viabilizar o Auxílio Brasil - substituto do Bolsa Família que irá gerar rombos inexplicáveis aos cofres públicos - a PEC dos Precatórios foi aprovada em primeiro turno por 312 votos a 144, somente quatro votos a mais que os necessários para aprovação da emenda à Constituição.