Bolsonaro elogia Trump após EUA cortarem Brasil de lista privilegiada

Presidente brasileiro não entende por que Trump é tão criticado pela imprensa
Presidente brasileiro não entende por que Trump é tão criticado pela imprensa
PorMarcos Henderson11/02/2020 13h00

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos divulgou na última segunda-feira (10) uma medida que retira o Brasil da lista de países em desenvolvimento, junto com outros 20 países, que não contarão mais com os privilégios garantidos aos países ainda pertencentes à categoria. A mudança gera para o governo de Donald Trump a possibilidade de se ampliar as barreiras comerciais para os produtos brasileiros, sem a necessidade de incluir o país em zona de privilégio, de acordo com a nota oficial divulgada. Mas para o presidente Bolsonaro, isso não aprece incomodar, já que nesta terça-feira (11) fez alguns elogios ao bilionário e aproveitou pra disparar críticas negativas à imprensa norte-americana. 

Leia também: Drauzio Varella comenta frase de Bolsonaro sobre AIDS

"O cara [Trump] diminuiu o desemprego, melhorou a economia, atendeu os latinos que já estão lá... Será que notícia boa a imprensa não vende? Será que é isso?", disse o presidente brasileiro na saída do Palácio da Alvorada, pouco depois de afirmar que a imprensa nos Estados unidos critica demais Donald Trump. Nas redes sociais, milhares de pessoas, incluindo figuras públicas e políticos, comentam sobre o assunto, em grande maioria ironizando os elogios de Bolsonaro a Trump, mesmo após a perda de privilégios. 

Leia também: Fila de espera do Bolsa Família chega a 1 milhão de pessoas

A medida, entretanto, não é totalmente uma surpresa, já que no ano passado o Planalto entrou em negociação com Trump e declarou disposição em abrir mão do status de país em desenvolvimento em uma possível abertura para futuras negociações na Organização Mundial do Comércio (OMC), com intuito principal de garantir o apoio da Casa Branca na adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Contudo, não há informações precisas sobre a transparência da decisão, isto é, não há certeza de que o Ministério das Relações Exteriores foi avisado previamente pela Casa Branca sobre a decisão, ou se o governo norte-americano realmente anunciou a retirada do Brasil da lista de surpresa.  

Comentários

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson