Coronavírus: Secretarias Estaduais registram 47 mortes em São Paulo, Rio e Amazonas

Vítima fatal no Amazonas estava a 369km da capital
Vítima fatal no Amazonas estava a 369km da capital

Até a noite da última terça-feira (24), São Paulo e Rio de Janeiro eram os únicos pontos em que havia o registro de mortes pelo novo coronavírus no Brasil, mas foi confirmado o falecimento de um homem de 49 anos no município de Parintins, no Amazonas, a 369 quilômetros de Manaus. Com isso, as secretarias estaduais de saúde totalizam, até o fechamento desta matéria, 47 mortes no país, sendo 40 em São Paulo, seis no Rio e uma no Amazonas, além de 2.281 casos confirmados. A prefeitura de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, também confirmou a morte de uma pessoa pelo vírus, mas ainda não computou a informação no balando da secretaria estadual. Com a oficialização, o número de vítimas fatais sobe para 48.

Em Porto Alegre, a vítima era uma mulher de 91 anos de idade que estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Moinhos de Vento. "Deveríamos começar a contabilizar a contaminação do vírus pelo número de pessoas na UTI. Tinham nove confirmadas e 26 com suspeitas. A partir de hoje, temos o primeiro óbito, que é mais um número que passa a fazer parte do nosso acompanhamento”, disse o prefeito Nelson Marchezan Jr. na madrugada desta quarta-feira (25), também chamando atenção para pacientes que foram diagnosticados com a doença mas já estariam curados na capital. Segundo ele, são sete homens, entre 18 e 68 anos, e uma mulher de 35.

A equipe Diário 24 Horas está acompanhando as atualizações de todas as secretarias estaduais, do Ministério da Saúde e demais órgãos federais para exibir aos leitores as informações precisas sobre a evolução da pandemia no país e reforça a necessidade de seguir as instruções de quarentena voluntária com o intuito de evitar o aumento drástico de casos da doença, que superlotaria as unidades de saúde. 

Cuidados com Covid-19:

Se apresentar sintomas ou tiver contato com alguém com a doença, faça quarentena e evite superlotar hospitais. Sua contribuição é necessária!

Orientações em caso de suspeita
Orientações em caso de suspeita
Orientações em caso de suspeita

Comentários

Leia também