Bolsonaro pede apoio para congelamento salarial de servidores

Com clima bastante diferente das reuniões anteriores, Bolsonaro e João Doria mantiveram a cordialidade
Com clima bastante diferente das reuniões anteriores, Bolsonaro e João Doria mantiveram a cordialidade

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reuniu hoje (21) com governadores e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM) para discutir sobre ajuda financeira aos estados em meio a pandemia do coronavírus.

Logo no início da videoconferência, o presidente afirmou que deve sancionar nesta quinta o projeto de auxílio financeiro a estados e municípios. Reforçou que deve vetar alguns trechos do projeto, como o reajuste salarial de servidores, e que, neste ponto, pede justamente o contrário, ele defende o congelamento dos salários dos servidores até o fim de 2021: "A cota de sacrifício dos servidores, pela proposta que está aqui, é não ter reajuste até 31 de dezembro do ano que vem".

Com clima cordial, os governadores solicitaram à Bolsonaro que haja união entre as autoridades do país, na busca por enfrentar a pandemia e garantir o emprego e renda das pessoas. Apesar de todas as desavenças nos últimos meses, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) reiterou a importância da reunião e das discussões ali tratadas: “Quero exaltar e cumprimentar a forma com que essa reunião está sendo conduzida. O Brasil precisa estar unido para vencer a crise, ajudar e proteger a saúde dos brasileiros. O nosso foco neste momento é exatamente esse, proteger os brasileiros em todo o Brasil”, e continuou: “Fico feliz, presidente Jair Bolsonaro, por perceber, em todas as intervenções feitas aqui, a começar da sua, depois Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e os dois governadores, Azambuja [Mato Grosso do Sul] e Renato Casagrande [Espírito Santo], exatamente dentro dessa linha. Vamos em paz, presidente, vamos pelo Brasil e vamos juntos. É o melhor caminho e é a melhor forma de vencer a pandemia”.

O presidente, por sua vez, agradeceu e parabenizou o governador reafirmando que “O governo federal, ao lado aqui dos presidentes da Câmara e do Senado, se Deus quiser sancionará hoje mesmo esse projeto, com vetos, os quais, segundo nosso entendimento e com toda a certeza da maioria senão totalidade dos senhores governadores, deve ser mantido. Isso é bom para todos nós”.

Bolsonaro e Paulo Guedes (Ministro da Economia) trabalham agora para que os governadores garantam que irão ajudar a manter os vetos presidenciais que barram reajustes salariais aos servidores públicos nas três esferas em seus respectivos estados.

Comentários

Jair Bolsonaro

Mais Notícias