Obamas, Lady Gaga e Beyoncé pregam esperança em discursos no Dear Class of 2020

Evento foi marcado por homenagens a George Floyd e discussões sobre racismo.
Evento foi marcado por homenagens a George Floyd e discussões sobre racismo.
PorMarcos Henderson08/06/2020 11h52

A pandemia do novo coronavírus provocou o fechamento de escolas no mundo inteiro e, com isso, milhões de estudantes perderam a oportunidade de se formarem no ensino médio com cerimônias físicas. O YouTube, portanto, decidiu realizar o evento virtual "Dear Class of 2020" no último domingo (7), reunindo diversas celebridades para homenagear os alunos que concluem a tão importante etapa do ensino neste ano. O ex-presidente Barack Obama e a ex-primeira-dama Michelle Obama foram os "cerimonialistas" do evento de transmissão ao vivo que durou pouco mais de quatro horas, com direito a discursos inspiradores, apresentações musicais e muito conteúdo. 

Vários líderes de opiniões, influenciadores, artistas e figuras públicas se juntaram à celebração, incluindo Lady Gaga, Beyoncé, Taylor Swift, Justin Timberlake, Shonda Rhimes, Demi Lovato, Jennifer Lopez, Finneas, Bill e Melinda Gates, Alicia Keys e muito mais. Logo no início do evento, Lizzo se apresentou ao lado da orquestra filarmônica de Nova York. Antes do início das comemorações, Alicia Keys fez um discurso inspirador para os formandos que talvez não estivessem se sentindo à vontade para comemorar diante dos difíceis eventos das últimas semanas. 

"Eu sei que agora pode não parecer que haja muito o que comemorar, e está tudo bem. Não há problema em não estar bem agora. Eu sei que muitas pessoas não estão pensando em seu tempo na escola", disse Keys logo na abertura, em menção aos protestos em andamento em todo o país após a morte de George Floyd em 25 de maio. "Não há nada e ninguém que possa impedi-lo de mudar o mundo. Eu vejo você. Você é imparável", insistiu a cantora, emocionando os alunos. 

Cada um dos Obamas proferiu seu discurso isoladamente, além de também discursarem em conjunto para os recém-graduados. "Hoje é o culminar de uma longa jornada. Pense em onde você estava iniciando seu primeiro ano [...] assim que estava completando a curva final, o mundo virou uma pandemia no seu caminho", disse o ex-presidente.

Já Michelle foi enfática ao celebrar os alunos que precisaram "chegar ainda mais alto", seja deixando seus irmãos usarem o computador enquanto ainda precisavam tirar boas notas nas provas finais, ou apoiando seus entes queridos em meio à pandemia. "Isso é pedir muito para alguém", disse a ex-primeira-dama. "Vocês todos fizeram algo ótimo. Mantenha a cabeça erguida e comemore", complementou. 

Em seu discurso, Barack disse: "Por mais assustador e incerto que sejam esses tempos, eles também são um alerta e são uma oportunidade incrível para sua geração, porque você não precisa aceitar o que foi considerado normal antes. Você não precisa aceitar o mundo como ele é. Pode entrar no mundo como deveria e pode ser. Você pode criar um novo normal, que seja mais justo e dê a todos oportunidade e trate a todos igualmente e constrói pontes entre as pessoas em vez de dividi-las".

Beyoncé também emocionou os espectadores e graduandos com um discurso poderoso que dialogava sobre o racismo e machismo além de agradecer aos alunos por usarem sua "voz coletiva" para defender as vidas negras. "Vocês chegaram lá! No meio de uma crise global, de uma pandeia racial e numa expressão mundial de indignação pela morte sem sentido de outro ser humano negro desarmado. E vocês conseguiram mesmo assim. Estou muito orgulhosa de vocês. Obrigada por usarem suas vozes em coletivo e avisar ao mundo que vidas negras importam. Os assassinatos de George Floyd, Ahmad Aubrey, Breonna Taylor e tantos outros, nos deixou despedaçados. Deixou o país inteiro buscando respostas", disse a cantora.

Lady Gaga iniciou seu discurso afirmando que havia gravado um discurso diferente, mas que refletiu sobre os atuais acontecimentos e decidiu fazer algumas alterações, sobretudo após a morte de George Floyd e o início dos protestos anti-racistas. 

Enquanto isso, Lady Gaga tinha algumas palavras apaixonadas para os graduados. Gaga começou dizendo que gravou um discurso de início diferente que "refletia a experiência compartilhada" com o COVID-19 que a turma de 2020 teve. Depois que George Floyd foi assassinado, ela percebeu que tinha muito mais a dizer sobre o movimento e os protestos da Black Lives Matter. "Desejo lhe dizer hoje que, embora seja muito triste, também há muito o que comemorar. Você está assistindo o que é um momento crucial na evolução deste [país] [...] as mudanças acontecerão e serão para melhor", afirmou a estrela que já alcançou feitos incríveis com o novo álbum, Chromatica.

Em seguida, Gaga ilustrou uma metáfora da sociedade americana como uma floresta que teria sido plantada com sementes racistas e cultivou, ao longo do tempo, galhos e folhas discriminatórias. "Esta floresta é onde moramos. É quem somos. É a moral e o sistema de valores que nós, como sociedade, defendemos há séculos", garantiu. "Mas estamos sendo convidados a desafiar esse sistema", prosseguiu a cantora. "Acredito em meu coração que as pessoas que farão essa mudança estão ouvindo esse discurso agora. Vocês são as sementes que crescerão em uma floresta nova e diferente que é muito mais bonita", finalizou Gaga.

+YouTube

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson