Beyoncé divulga carta aberta à justiça do Kentucky pedindo justiça por Breonna Taylor

'A cada morte de um negro nas mãos da polícia, há duas tragédias reais: a própria morte, e a inação e os atrasos que a seguem.', escreveu Beyoncé.
'A cada morte de um negro nas mãos da polícia, há duas tragédias reais: a própria morte, e a inação e os atrasos que a seguem.', escreveu Beyoncé.
PorCarol Souza15/06/2020 20h54

Nesta semana ninguém menos do que a Queen Bey, Beyoncé Knowles-Carter, se juntou ao coro crescente de cidadãos indignados pedindo justiça pela morte de Breonna Taylor. Em uma carta aberta ao procurador-geral do Kentucky, o ícone pop exige que os policiais responsáveis ​​"sejam responsabilizados por suas ações".

Nas primeiras horas do último dia 13 de março, o sargento Jonathan Mattingly e os policiais Myles Cosgrove e Brett Hankison usaram um aríete para forçar seu caminho até a casa de Breonna Taylor em Louisville. Taylor, uma técnica de emergência de 26 anos, estava dormindo com seu namorado Kenneth Walker. Depois que a polícia arrombou a porta, Walker pegou sua arma e tentou se defender dos intrusos. No tiroteio que se seguiu, o trio de Mattingly, Cosgrove e Hankison atirou em Taylor pelo menos oito vezes, matando-a.

O Departamento de Polícia de Louisville Metro obteve um mandado de segurança autorizando os policiais a entrar sem se identificarem como agentes da lei. A polícia estava investigando uma operação de tráfico de drogas localizada a quase 16 quilômetros de distância. De acordo com o The Louisville Courier-Journal, o LMPD sabia que nenhum dos principais suspeitos estava na casa de Taylor e, em vez disso, suspeitou que um dos dois homens - Jamarcus Glover - usasse o apartamento dela para receber pacotes. Nenhuma evidência pública apóia essa afirmação. No momento da morte de Taylor, Glover já estava sob custódia da polícia.

Como foi o caso do estrangulamento de George Floyd, o assassinato de Breonna Taylor passou a simbolizar como táticas agressivas da polícia colocam em risco vidas negras. A "Lei de Breonna" foi aprovada em Louisiville, proibindo mandados de segurança e os legisladores federais estão considerando uma legislação semelhante. Mas os policiais que realmente a mataram continuam empregados pelo LMPD e, apesar de terem sido dispensados ​​administrativamente, ainda estão recebendo salário.

Em sua carta aberta, Beyoncé reconhece esses "pequenos passos na direção certa", mas os chama de "lembretes dolorosos de que ainda não houve justiça para Breonna Taylor ou sua família".

Beyoncé ressalta ainda que a polícia parecia ter tentado encobrir o assassinato. O "relatório de incidente oficial afirma que Taylor não sofreu ferimentos - mas sabemos que ela foi baleada pelo menos oito vezes". A cantora vincula isso a suas preocupações mais amplas sobre o racismo sistêmico. "A cada morte de um negro nas mãos da polícia", ela escreve, "existem duas tragédias reais: a própria morte, e a inação e os atrasos que a seguem".

Ainda em sua carta, Beyoncé faz três exigências: Que sejam apresentadas acusações criminais contra os três policiais; que Daniel Cameron, do Kentucky AG, "se comprometerá com a transparência na investigação"; e que Cameron irá "investigar a resposta do LMPD à morte de Breonna Taylor, bem como as práticas difundidas que resultam na morte repetida de cidadãos negros desarmados".

Durante todo o processo, ela lembra à AG Cameron quanto tempo se passou e quanto trabalho resta a ser feito.

"Três meses se passaram - e zero prisões foram feitas, e nenhum oficial foi demitido... O Sargento Jonathan Mattingly e os oficiais Myulse Cosgrove e Brett Hankison devem ser responsabilizados por suas ações. Três meses se passaram - e a família de Breonna Taylor ainda espera por justiça".

No mês passado, Beyoncé também se posicionou após o brutal assassinato de George Floyd com uma mensagem de vídeo sincera, dizendo: "Não podemos normalizar essa dor". Além de seu ativismo, a Queen Bey esteve fortemente envolvida em campanhas de suporte à crise do coronavírus, lançando uma campanha de testes COVID-19 em Houston e doando cerca de US $ 6 milhões para organizações à frente da batalha contra o vírus.

Recentemente, respeitando as orientações de distanciamento social, a cantora gravou um poderoso discurso de formatura para a cerimônia virtual do evento "Dear Class of 2020", dos Obamas. 

Confira a carta de Beyoncé na íntegra abaixo:

Beyoncé divulga carta sobre caso de Breonna Taylor.
Beyoncé divulga carta sobre caso de Breonna Taylor.
Beyoncé divulga carta sobre caso de Breonna Taylor.

+Beyoncé

Sobre o autorCarol Souza
Amante do cinema, dos livros e apaixonadíssima pelo bom e velho rock n'roll. Amo escrever e escrevo sobre o que amo. Ativista da causa feminista e bebedora de café profissional. Instagram: @barbooosa.carol