Sociedade Brasileira de Infectologia afirma que Hidroxicloroquina não tem efeito e deve ser abandonada

Apesar da recomendação, o governo não inibiu o uso do medicamento
Apesar da recomendação, o governo não inibiu o uso do medicamento
PorBruna Pinheiro17/07/2020 21h41

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia, após novos estudos divulgados sobre a Covid-19, a recomendação é de que seja abandonado imediatamente a prescrição de Hidroxicloroquina no tratamento. A SBI, assim, contraindica o uso do medicamento em qualquer fase da doença.

A recomendação da SBI se baseia em duas pesquisas internacionais publicados na quinta-feira (16) que não apontaram resultados eficientes do medicamento na situação de aplicação fora da bula, ou seja, para tratamento de Covid-19.

Em sua avaliação, a SBI listou alguns pontos que considera urgente para parar o uso do medicamento:

  • "que a hidroxicloroquina seja abandonada no tratamento de qualquer fase da Covid-19";
  • "os agentes públicos, incluindo municípios, estados e Ministério da Saúde reavaliem suas orientações de tratamento, não gastando dinheiro público em tratamentos que são comprovadamente ineficazes e que podem causar efeitos colaterais";
  • "que o recurso público seja usado em medicamentos que comprovadamente são eficazes e seguros para pacientes com COVID-19 e que estão em falta";

O posicionamento da foi assinado pelo presidente Dr. Clóvis Arns da Cunha e foi elaborado conjuntamente com os infectologistas Dr. Alberto Chebabo, Dr. Sergio Cimerman, Dra. Christiane Reis Kobal, Dra. Lessandra Michelin, Dr. Antonio Carlos de Albuquerque Bandeira, Dra. Priscila Rosalba Domingos de Oliveira, Dr. Marcos Antonio Cyrillo, Dr. Estevão Urbano Silva e Dr. Leonardo Weissmann.

Apesar dos estudos internacionais que vão contra a prescrição do medicamento, o Ministério da Saúde solicitou via ofício à Fundação Oswaldo Cruz instituição dê ampla divulgação ao tratamento com uso de cloroquina e hidroxicloroquina como medicamentos que podem ser utilizados nos primeiros dias de sintomas de Covid-19. 

O secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos, Hélio Angotti Neto, informou que "não há um consenso científico" sobre a droga, apesar de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter suspendido os testes com o medicamento. 

    +Coronavírus

    Sobre o autorBruna Pinheiro
    Internacionalista. Escrevo hoje sobre política, economia, filmes e séries. Adoro viajar e comer (não necessariamente nessa ordem). Segue lá @bpinheiro1