China promete retaliação após ordem dos EUA para fechar o consulado em Houston

Wang Wenbin disse que reagirá 'com contragolpes firmes' à decisão de Donald Trump
Wang Wenbin disse que reagirá 'com contragolpes firmes' à decisão de Donald Trump
PorMarcos Henderson22/07/2020 14h51

A China prometeu retaliação nesta quarta-feira (22) depois que os EUA ordenaram abruptamente o fechamento de seu consulado em Houston, medida que inflama ainda mais as tensões entre as duas superpotências mundiais. Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, disse que a China foi notificada na terça-feira (21) que deve fechar o consulado dentro de 72 horas. Em um briefing diário regular, ele descreveu a ação como uma "escalada sem precedentes" e disse que a China reagiria "com contragolpes firmes" se os EUA não revogassem a decisão.

O porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus, disse em comunicado que o fechamento foi "para proteger a propriedade intelectual e as informações privadas" norte-americanas. "Os Estados Unidos não tolerarão as violações [da República Popular da China] de nossa soberania e intimidação de nosso povo", disse Ortagus. O secretário de Estado, Mike Pompeo, se recusou a explicar o que desencadeou a decisão quando pressionado sobre o assunto durante uma entrevista coletiva em Copenhague, onde ele se reunia com autoridades dinamarquesas, mas ele voltou a citar acusações de longa data dos EUA de que o governo da China estaria roubando a propriedade intelectual americana. 

Consulado da China em Houston
Consulado da China em Houston
Consulado da China em Houston

Ele também mencionou, na terça, dois hackers chineses que são acusados pelo Departamento de Justiça de roubar segredos comerciais de centenas de alvos de nível global e, mais recentemente, de investigar vulnerabilidades em empresas norte-americanas envolvidas no desenvolvimento de tratamentos e vacinas para a Covid-19.

"O presidente Trump disse 'basta'", disse Pompeo. "Não vamos permitir que isso continue acontecendo". Entretanto, ele não forneceu detalhes sobre as alegações de espionagem, tampouco sobre os motivos diretos que levaram o presidente a optar pelo fechamento urgente do consulado em Houston. O senador Marco Rubio, da Flórida, que preside o Comitê Seleto de Inteligência do Senado, disse em um tweet que "o consulado da China em Houston é um enorme centro de espionagem" e acrescentou que "forçar o fechamento está muito atrasado", também sugerindo que o consulado "não é uma instalação diplomática", e sim o "nó central da vasta rede de operações de espiões e influência do Partido Comunista nos Estados Unidos". 

As tensões entre EUA e China se intensificaram em meio à pandemia do novo coronavírus, tensionando cada vez mais as relações comerciais, sobretudo depois que Pequim decidiu reivindicar a autoridade sobre Hong Kong. Além do consulado em Houston, a China também tem consulados em Chicago, Los Angeles, Nova York e São Francisco, e a embaixada em Washington, D.C.

+Política

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson