Leilões do governo deverão ocorrer apenas em 2021 e 2022

Dos 64 leilões previstos para 2020, apenas quatro ocorreram.
Dos 64 leilões previstos para 2020, apenas quatro ocorreram.
PorBruna Pinheiro27/09/2020 16h49

O governo Bolsonaro preparou para o ano de 2020 mais de 60 leilões de ativos federais do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Entretanto, com a pandemia do novo coronavírus e a paralisação do plano de privatizações, apenas quatro leilões saíram do papel.

Agora, o governo planeja para 2020 realizar mais 15 leilões, e dividiu os 64 planejados inicialmente em 47 para 2021, 2 para 2022 e ao menos 5 estão agora com o andamento suspenso. Alguns dos projetos eram extremamente sensíveis para o país, como o leilão do 5G, de 22 aeroportos, 6 rodovias, 2 ferrovias e a venda de meia dúzia de estatais.

Segundo a Agência Brasil, somente para a região Norte há a previsão de leilão de oito projetos, boa parte para ainda este ano, entre o final de novembro e dezembro, que incluem projetos minerários e de transmissão de energia no Estado do Amazonas.

A agenda liberal do Ministro da Economia, Paulo Guedes, tem encontrado dificuldades para avançar nas privatizações. Seu programa reúne 17 estatais, além de projetos de concessão, arrendamento e outros modelos de parceria em diferentes áreas. O PPI possui mais de 128 projetos em andamento, em setores como petróleo e gás, portos, trens urbanos, entre outros.

Mesmo com um plano ousado, em quase dois anos de mandato, o atual governo não concluiu nenhuma privatização ou liquidação de empresas públicas. A lentidão para os processos foi um dos motivos da recente saída do empresário Salim Mattar do cargo de secretário de Desestatização do Ministério da Economia.

Martha Seillier, secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), informou que apesar disso as vendas das estatais ainda são prioridades do governo e que devem começar pela Eletrobras. 

Gostei
Haha
Triste
Detestei
Amei
Aff
Gostei
Comentar

+Política

Sobre o autorBruna Pinheiro
Internacionalista. Escrevo hoje sobre política, economia, filmes e séries. Adoro viajar e comer (não necessariamente nessa ordem). Segue lá @bpinheiro1