Diário 24 Horas

Reino Unido aprova vacina da Pfizer e BioNTech para Covid-19

A imunização deverá começar na próxima semana, com foco em idosos, cuidadores e profissionais de saúde
A imunização deverá começar na próxima semana, com foco em idosos, cuidadores e profissionais de saúde
PorMarcos Henderson

O Reino Unido se tornou o primeiro país ocidental a aprovar uma vacina para Covid-19, abrindo caminho para que as primeiras doses comecem a ser aplicadas a partir da próxima semana no país. "A ajuda está a caminho", anunciou o secretário de Saúde, Matt Hancock, em comunicado oficial emitido na manhã desta quarta-feira (2), depois que os reguladores do Reino Unido concederam uma autorização de emergência para uma vacina feita pela farmacêutica americana Pfizer e sua parceira alemã BioNTech.

Uma análise final do ensaio de Fase 3 da vacina mostra que ela foi 95% eficaz na prevenção de infecções, mesmo em adultos mais velhos, e não causou problemas sérios de segurança, disse a Pfizer no mês passado. O anúncio significa que o Reino Unido ultrapassou os Estados Unidos e a União Europeia na corrida para aprovar uma vacina, após meses de pandemia que já matou quase 1,5 milhão de pessoas em todo o mundo.

"Acreditamos que é realmente o início do fim da pandemia", disse o CEO da BioNTech, Ugur Sahin, em uma entrevista à CNN. O CEO da Pfizer, Albert Bourla, saudou a autorização de emergência como "um momento histórico na luta contra a Covid-19". O Reino Unido encomendou 40 milhões de doses da vacina - o suficiente para vacinar 20 milhões de pessoas. Hancock disse à BBC que 800.000 doses iniciais seriam entregues das instalações da Pfizer na Bélgica para o Reino Unido na próxima semana, e "muitos milhões" antes do final do ano.

No topo da lista de prioridades para a aplicação da vacina, estão os idosos em lares de idosos, os cuidadores dos idosos, profissionais de saúde e outras pessoas consideradas vulneráveis.

A vacina foi lançada em uma velocidade extraordinária, desde a concepção até a aprovação em cerca de 11 meses, de acordo com a BioNTech. O processo geralmente leva anos. O primeiro-ministro Boris Johnson chamou a notícia de "fantástica" em um tweet, acrescentando que "é a proteção das vacinas que nos permitirá recuperar nossas vidas e fazer a economia andar novamente".

O departamento de saúde do Reino Unido disse que a aprovação "segue-se a meses de testes clínicos rigorosos e uma análise minuciosa dos dados" pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA), que havia "concluído que a vacina atendeu aos rígidos padrões de segurança e qualidade e eficácia. "

O chefe do MHRA, Dr. June Raine, insistiu que "nenhum atalho foi cortado" durante uma entrevista coletiva pela manhã. Raine disse que os testes clínicos estavam "se sobrepondo" para fazer o processo progredir mais rápido. “Equipes separadas trabalharam em paralelo para entregar esta revisão”, acrescentou.

+Coronavírus

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson