Diário 24 Horas

Dados sobre eficácia da vacina CoronaVac serão divulgados pelo Governo de SP nesta quarta, 23

Os resultados dos testes da fase 3 serão divulgados às 16h. Foto: Amanda Perobelli/Reuters
Os resultados dos testes da fase 3 serão divulgados às 16h. Foto: Amanda Perobelli/Reuters
PorMarcos Henderson

Nesta quarta-feira (23), é aguardada a entrega dos dados oficiais sobre a eficácia da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. O Governo de São Paulo deve divulgar as informações durante a tarde, por volta das 16h, através de um anúncio comandado pelo secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, e pelo Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, em coletiva de imprensa na sede do Butantan.

Leia também: Cientistas recomendam cautela para avaliar nova mutação do coronavírus

Ainda nesta quarta-feira, os dados deverão ser encaminhados à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que seja efetuado o pedido formal de registro definitivo e liberação para uso emergencial das doses da vacina, iniciando oficialmente as logísticas para a campanha de imunização prevista para janeiro de 2021. 

Além da Anvisa, a solicitação também será enviada para a NMPA (National Medical Products Administration), instituição chinesa responsável pela regulação de medicamentos.

Leia mais: Pfizer e Moderna estão testando suas vacinas contra a nova cepa de Covid-19

A CoronaVac está na terceira e última fase de testes, estágio em que a eficácia deve ser comprovada para que seja efetuada a liberação. Nesta fase de testes, o Brasil registra 170 voluntários contaminados, e o estudo conclusivo mede a taxa de eficácia do imunizante comparando os dados das pessoas que tomara a vacina com os indivíduos que receberam placebo. Caso aprovada, a CoronaVac deverá ser a primeira vacina a ficar disponível para uso no Brasil, começando por São Paulo, que investiu diretamente no desenvolvimento do composto. 

O processo de envase da vacina começou no dia 9 de dezembro, na fábrica do Butantan, que tem 1.880 metros quadrados e conta com reforço de 120 novos profissionais, além dos 245 previamente contratados pelo instituto. A matéria-prima para a produção da vacina foi importada da China. 

+Coronavírus

Sobre o autorMarcos Henderson
Publicitário, músico e, aqui, escrevo sobre o que as diferentes culturas têm a nos dizer. Como artista, celebro a força da arte e conto histórias do entretenimento. Twitter: @marhoscenderson